Após relatos de extorsão, Comissão de Segurança do Centro Histórico vai intervir


O Pelourinho é parada obrigatória para todo “forasteiro” que visita Salvador. Porém, mesmo com todas as belezas históricas e reformas recentes, a localidade tem sido atacada pelos turistas. Nas plataformas e sites de viagens, o Pelô aparece com nota baixa e diversos comentários negativos. Por causa dessa realidade, a Comissão de Segurança do Centro Histórico de Salvador irá intervir contra ações de extorsão, violência e intimidação, que infelizmente se tornaram comuns na região.

Os comentários foram deixados em sites de turismo, como o “TripAdvisor”, no qual os viajantes classificam os pontos turísticos das cidades e dão dicas sobre as visitações dos locais. Recentemente, as avaliações do Pelourinho não estão nada positivas: reclamações sobre extorsão se tornaram frequentes em um dos pontos mais importantes para o turismo da capital baiana. 

“Lugar péssimo! Não percam o tempo e o dinheiro de vocês, porque os vendedores são insuportáveis”, escreveu um turista que visitou a localidade em março de 2021. Outra internauta classificou a visita ao Pelourinho como a “pior experiência como turista”, pois foi abordada diversas vezes e, como não comprou nenhum dos itens oferecidos, ainda foi xingada pelos vendedores.

Segundo as entidades, a falta de organização de atividades informais é o que tem afetado não só a experiência dos turistas, mas também a economia local. Estima-se que dezenas de empresas querem se instalar no Centro Histórico e gerar centenas de empregos formais, mas não o fazem por conta dessa situação.

A Comissão de Segurança irá promover a organização desta situação para tornar a localidade cada vez mais atrativa. Ela é formada por órgãos como a SEMOP (Secretaria de Ordem Pública), DELTUR (Delegacia de Proteção ao Turista), DPC (Departamento de Polícia Civil) e ACHE (Associação de Empreendedores do Centro Histórico). 





Fonte: iBahia