Braz sonda possibilidade de repatriar meia-atacante do Guangzhou Evergrande; salário de R$ 3,7 milhões é desafio para o Mengo


O meia-atacante Anderson Talisca esta prestes a deixar o futebol chinês. O jogador tem contrato com o  Guangzhou Evergrande até junho de 2022 e sem uma renovação com o clube asiático, deve ficar livre para assinar um pré-contrato com outra equipe, desta forma, o risco de sair de graça é iminente, o que motiva ainda mais para que se abram tratativas para uma transferência.




O jogador revelou sua situação ao jornalista Jorge Nicola, que também apurou sondagem feita pelo Flamengo. Recentemente, Marcos Braz e o empresário Carlos Leite tiveram um encontro em que o vice-presidente de futebol do Mengão quis saber sobre as possibilidades e a atual situação do meia.

Embora seja improvável que fique no Guangzhou Evergrande, a contratação de Talisca é uma empreitada complicada por conta do salário do jogador. recebe cerca de 7 milhões por temporada (R$ 44.5 milhões). O que dá cerca de R$ 3.7 milhões por mês. Trata-se de uma quantia fora da realidade de clubes do Brasil.

Foto: in Doha, Qatar. (Photo by Simon Holmes/Getty Images)

 Talisca já atuou pelo Benfica de Portugal e Besikitas da Grécia. A sua provável saída da China deve colocar o jogador novamente rumo à Europa. O meia-atacante também tem convocações para as seleções brasileiras de base e principal.

O Fla trabalha para manter suas contas equilibradas, o que faz com que o Rubro-Negro não se arrisque em negociações de grandes proporções. Em recente entrevista ao jornalista Venê Casagrande, Marcos Braz comentou sobre a postura do Mais Querido no mercado: “O Flamengo sempre tem nomes sendo analisados. Sempre tem. Mas também não podemos fechar os olhos para a pandemia e todos tiveram perdas enormes. O Flamengo se encaixa nisso. Nessa janela, talvez, não seja da mesma forma. Talvez, com inteligência, e com boas ideias a gente faça contratações no meio do ano”, afirmou.

Fonte: Bola Vip