Bruno Covas prometeu e entregou Auxílio para carentes em São Paulo


O Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) prometeu ainda na campanha da reeleição em 2020 que pagaria um Auxílio Emergencial municipal para as famílias carentes da cidade. O tucano cumpriu essa promessa ainda no mês de dezembro daquele ano.

Bruno Covas morreu neste domingo (16), aos 41 anos de idade, vítima de um câncer. Ele lutava contra a doença há dois anos. O Prefeito governou São Paulo entre os anos de 2018 e 2021. Ele conquistou a reeleição ainda no último mês de novembro ao vencer o então candidato Guilherme Boulos (PSOL).

Foi justamente nesta campanha que Covas prometeu criar um Auxílio Emergencial para a população carente. Na época, os concorrentes disseram que o Prefeito poderia estar prometendo isso apenas para tentar ganhar votos naquele pleito. O então Prefeito negou as acusações.

Depois de um período da eleição e de muita cobrança por parte da oposição, Covas conseguiu fazer o pagamento do benefício em parcela única ainda no último mês de dezembro, a dias para o fim do ano de 2020. Ele comemorou a entrega nas redes sociais.

Agora em 2021, ainda com Covas comandando a Prefeitura, o programa ganhou uma reedição. A Câmara Municipal de São Paulo decidiu aprovar mais três pagamentos de valores que variam entre R$ 100 e R$ 200 para famílias carentes da cidade.

Auxílio Emergencial de Covas

De acordo com informações da própria Prefeitura de São Paulo, o Auxílio Emergencial municipal está fazendo pagamentos entre os meses de março e maio. Isso quer dizer portanto que a maioria dessas pessoas estão recebendo os valores da última parcela agora.

Ao contrário do que acontece na maioria das outras cidades que estão pagando esses benefícios, o programa de São Paulo permite que usuários do Bolsa Família recebam o Auxílio local. Assim, esses paulistanos podem acabar acumulando o dinheiro dos dois projetos.

Além disso, o programa de São Paulo também tem como público alvo os ambulantes da cidade. No entanto, para receber esse dinheiro, esse profissional precisa ter cadastro ativo em alguns dos projetos da Prefeitura. Eles também recebem entre R$ 100 e R$ 200.

Prefeito

Com a morte de Bruno Covas, as atenções agora se voltam para o seu vice-prefeito, Ricardo Nunes (MDB). É que uma possível prorrogação do Auxílio paulistano passa pela vontade de Nunes. Então as pessoas estão justamente esperando para saber o que ele acha sobre esse assunto.

Até aqui, o novo Prefeito não está falando muito sobre esse tema. No entanto, se sabe que ele é de um campo mais conservador do que Covas era. Além disso, ele tem uma ligação mais forte com a igreja católica e com grupos mais de direita. Por isso há uma expectativa em torno dele.

Nas redes sociais, no entanto, o clima neste domingo (16), foi de comoção. Pelo menos a grande maioria dos internautas esqueceram o lado político por um momento para se solidarizar com os familiares de Bruno Covas neste momento dificuldades para eles.


Fonte: Notícias Concursos