‘Carnaval’, da Netflix, promete gatilhos e saudades de aglomeração em tempos pandêmicos



Antes da primeira cena do trailer de ‘Carnaval’, novo filme nacional original Netlifx, vem o aviso: “Cuidado. As cenas a seguir contêm gatilhos de Carnaval”. Em um ano em que a festa mais popular do mundo não foi realizada (por conta da pandemia do novo coronavírus), dá para afirmar que para os mais entusiastas o aviso é necessário. Claro que o retrato do Carnaval de Salvador do filme é uma festa irreal para muitos: camarotes, tudo pago, acesso ao artista e subida no trio. Mas, principalmente nas imagens aéreas, dá para sentir o gostinho da festa. 

O longa da Netflix conta a história de Nina (Giovana Cordeiro), uma influenciadora digital não tão bombada, que vira meme ao ser traída pelo namorado. Na foça, ela reúne as três melhores amigas para passar o Carnaval em Salvador.  

Além de Giovana, fazem parte do elenco a humorista e influenciadora Gkay, estreando na Netflix, e as atrizes Bruna Inocêncio e Samya Pascotto. As três são as amigas que acompanham a protagonista no Carnaval.  

Bem diferentes entre si, é através de Jéssica (GKay), Mayra (Bruna Inocêncio) e Vivi (Samya Pascotto) que o filme traz os momentos mais engraçados, especialmente com a personagem de Gkay, que traz seu lado humorista para cena. Enquanto Nina está em busca de likes, as amigas acabam descobrindo novos amores e até mesmo se reconectando com o passado, como é o caso de Mayra. 

Através da personagem de Bruna Inocêncio, o filme explora, mesmo que com pouca profundidade, a religiosidade tão presente na cultura soteropolitana. Em uma das cenas, Mayra busca na religião ajuda para superar um trauma do passado. Em entrevista ao iBahia, a atriz revelou ser praticante da Ubandã e contou como essa cena mexeu com ela. 

“Eu tenho uma relação muito forte com religião. Eu amo todas as religiões. Já fui meio um pouquinho de cada, porque eu sou muito curiosa. Sou Ubandista, não sou Candomblecista, mas tenho essa ligação com os orixás e foi uma cena muito emocionante para mim. Porque eles estavam ali, sabe? E aquela Igreja… foi uma energia surreal gravar aquela cena. A emoção era real.  Ficou muito linda. É minha cena xodó”, revelou. 

As cenas do filme na capital baiana foram gravadas depois da festa momesca de 2020, quando a pandemia ainda não havia chegado no país. Com isso, a produção contou com centenas de figurantes para transformar a orla da Barra em mais um dia de Carnaval. 

Aqui vale ressaltar que, para quem está acostumado com a festa em Salvador, alguns detalhes não passarão despercebido. Em algumas cenas, a facilidade das personagens em se comunicar no meio da multidão dá um ar inverossímil. 

Mas, de qualquer forma, nas gravações as quatro protagonistas puderam sentir a energia do Carnaval de Salvador. E o que pode ser um gatilho para os telespectadores, é também para elas, garante Giovana. “Só de estar aqui [na entrevista] com as meninas, lembrando as histórias lembrar de tudo que aconteceu, as memórias vão voltando, já vai dando um calorzinho no coração. Uma mistura de muita felicidade por ter isso registrado e poder ver no filme, uma tristeza por toda situação de não poder ter Carnaval”, ressaltou. 

Gkay concorda com a colega e aposta que o sentimento vai ser de todos. “Eu acho que a questão do gatilho vai ser muita porque algumas cenas que eu vi do filme, que eu mostrei o trailer para amigos meus, todo mundo já arrepiava, todo mundo ficava naquela ansiedade; naquela saudades.  Saudades, né minha filha, saudades do que a gente já viveu”, brincou, relembrando o icônico meme produzido por Neymar. 

Para elas, o filme acabou se tornando um registro de um momento pré-pandemia. “Acho que esse é o sentimento mesmo. De estar feliz porque isso foi gravado, o último Carnaval que a gente teve antes desse acontecimento global que mudou o jeito que a gente se relaciona. Eu acho muito legal isso ter sido registrado. É quase um registro histórico, vai lá, dar um play e ver”, finalizou Samya Pascotto. 

Foto: Divulgação / Netflix

O filme tem como plano de fundo o Carnaval de Salvador, mas gira em torno do universo das influenciadoras digitais. Em busca de se tornar uma influenciadora de sucesso, Nina acaba recebendo uma lição de moral da vida bem clássica dos filmes de comédia romântica. 

A jovem idolatra Luana, personagem de Flávia Pavanelli – também influenciadora na “vida real” -, e vislumbra ter a fama dela. Claro que no final tem uma reviravolta, mas não vamos entrar em detalhes. No entanto, dá para falar que é nesse núcleo que algumas das mensagens que o filme parece querer passar aparecem: busca pela fama, cancelamento, amizade e homofobia. 

Com duas colegas influenciadoras no elenco, Pavanelli e Gkay, Giovana teve onde se inspirar. “Antes de a gente se conhecer pessoalmente eu já estava lá olhando Gkay, Flávia Pavanelli. A Flávia principalmente porque tinha essa coisa dela se espelhar na Luana. Eu fiquei bastante de olho nas meninas”, conta a atriz. 

Inclusive, Nina, em uma das cenas, utiliza um bordão de GKay que, segundo Giovana, foi uma homenagem. 

‘Carnaval’ é um filme de Leandro Neri, Luisa Mascarenhas e Audemir Leuzinger, com direção de Leandro Neri. O longa estará disponível no serviço de streaming no dia 2 de junho. 

Confira o trailer: 





Fonte: iBahia