Chelsea anula o Manchester City e se sagra bicampeão europeu


Liga dos Campeões

LIGA DOS CAMPEÕES: Chelsea anula o Manchester City e se sagra bicampeão europeu

O time londrino superou os rivais pelo placar de 1 a 0, com um gol de Kai Havertz, e levou a taça pela segunda vez em sua história

Publicado em 29/05/2021
por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 29 (AFI) – No duelo inglês entre Chelsea e Manchester City, válido pela grande final da Liga dos Campeões da Europa, quem levou a melhor foi o time da capital inglesa, que no estádio do Porto, na tarde deste sábado (29), superou os rivais pelo placar de 1 a 0, com um gol de Kai Havertz, e se sagrou bicampeão europeu.

Nove anos depois de vencer a Liga dos Campeões da Europa pela primeira vez, em 2012, o Chelsea voltou a levantar a taça mais desejada do futebol europeu neste sábado. Do outro lado, o Manchester City adia o sonho de fazer como o rival fez em 2012 e conquistar o título inédito. Estreante na final da competição, o atual campeão inglês terá que esperar a próxima temporada para tentar mais uma vez alcançar a glória do feito histórico.

VEJA O GOL E MELHORES MOMENTOS

Espaço incorporado por HTML (embed)

%3Ciframe%20width=%22560%22%20height=%22315%22%20src=%22https://www.youtube.com/embed/G0eb2oDq-_M%22%20title=%22YouTube%20video%20player%22%20frameborder=%220%22%20allow=%22accelerometer;%20autoplay;%20clipboard-write;%20encrypted-media;%20gyroscope;%20picture-in-picture%22%20allowfullscreen%3E%3C/iframe%3E

DEU CHELSEA!

Foto: Divulgação / Champions League

Foto: Divulgação / Champions League

Antes de a bola rolar, a ansiedade do torcedor do Manchester City disparou diante da divulgação da escalação montada pelo técnico espanhol Pep Guardiola sem os volantes Fernandinho e Rodri.

Além disso, Zinchenko foi mantido na lateral esquerda no lugar de Cancelo, após boas atuações nas semifinais. A principal surpresa foi a escolha de começar com Sterling como titular.

Apesar do impacto inicial, a escalação inusitada não chegou a afetar muito o Chelsea, tanto que a partida começou com certo equilíbrio. O primeiro goleiro a trabalhar foi Mendy, que salvou o time londrino aos sete minutos, quando saiu do gol para impedir finalização cara a cara de Sterling.

Depois disso, o Chelsea passou a frequentar mais o campo de ataque e desperdiçou boas chances com Timo Werner, aos 13 e aos 14 minutos. A pressão continuou e, após dois minutos, Kanté também teve sua chance, de cabeça, mas mandou para fora. Enquanto isso, a equipe de Guardiola não conseguia encontrar espaços para criar jogadas ofensivas.

O Manchester City chegou a ter um momento mais incisivo após a segunda metade da etapa inicial, mas esbarrou em intervenções certeiras da defesa adversária. Assim, o Chelsea continuou melhor e conseguiu encontrar o caminho antes do intervalo. Aos 42 minutos, Mount enfiou lindo passe para Harvetz, que saiu na frente de Ederson, limpou o goleiro brasileiro e mandou para a rede. Pouco antes disso, o zagueiro Thiago Silva saiu de campo com um problema na virilha.

MURALHA

No segundo tempo, o Manchester City se esforçou para manter a posse de bola e, mesmo com dificuldades para encontrar espaços, conseguiu pressionar. Bem posicionada na defesa, a equipe de Londres evitava que as jogadas adversárias evoluíssem. Por outro lado, sofria para encaixar os esperados contra-ataques para tentar matar o jogo.

Quando o contragolpe encaixou, aos 27 minutos, o Chelsea quase ampliou. No lance, Pulisic recebeu belo passe de Harvetz e finalizou para fora. Outra chance foi desperdiçada por Jorginho, aos 36. A configuração na maior parte da partida, no entanto, foi a seguinte: Manchester City atacando e Chelsea defendendo muito bem, com atuações individuais brilhantes na marcação. Kanté foi o grande destaque nos desarmes.

Mesmo com as entradas de Fernadinho, Gabriel Jesus e Sergio Aguero, essa última muito pedida pela torcida, o Manchester City não conseguia atacar com qualidade. O time manteve a posse de bola por todo o segundo tempo, porém sem apresentar grandes riscos ao Chelsea. Sem deixar que o adversário penetrasse, a equipe londrina aguentou até o fim e garantiu a segunda taça da Liga dos Campeões.


Fonte: Futebol Interior