Cidadãos tomam banho de ‘fezes’ para se proteger da covid e autoridades repreendem



As autoridades de saúde Índia estão pedindo que a população pare de usar  estrume de vaca como tratamento contra covid-19. De acordo com relatos, indianos estão passando o material pelo corpo e até ingerido achando que dessa forma garantem proteção contra doença.

O problema é que a prática não fortalece a imunidade contra o coronavírus e ainda pode aumentar o risco de contágio por outras doenças. 

Na Índia, a vaca é considerada um animal sagrado e é comumente parte de rituais, pois acredita-se que o material tem propriedades terapêuticas. 

Com relação ao covid, os participantes passam uma mistura de estrume e urina nos corpos e esperam secar. Eles se abraçam e fazem homenagens às vacas no recinto e também praticam yoga. Depois, eles se lavam com leite.

“Não há evidência concreta de que estrume ou urina bovina aumentem a imunidade contra a Covid-19”, alertou o presidente da Associação Indiana de Médios a Reuters. Ele ainda chamou atenção para o risco e conaminação por outras doenças e também para o perigo da aglomeração de pessoas nesses rituais. 





Fonte: iBahia