Comunidade Andina de Nações: tudo sobre o bloco!


A Comunidade Andina de Nações: um resumo sobre o assunto

A Comunidade Andina de Nações é um bloco econômico do qual fazem parte os países que integram a chamada América Andina.

O assunto pode ser abordado por questões de geografia e de história, principalmente ao lado das relações desse bloco com o Mercosul, do qual o Brasil faz parte.

A Comunidade Andina de Nações: Introdução

A Comunidade Andina das Nações (CAN), também denominada de Grupo Andino, é um bloco econômico fundado no ano de 1969.

O bloco foi criado através do Acordo de Cartagena e é composto por países da América do Sul. Atualmente, a sede do bloco se localiza na cidade de Lima, no Peru.

A Comunidade Andina de Nações: Participantes

A Comunidade Andinas das Nações é formada pelos seguintes países: Bolívia, Colômbia, Peru e Equador. Ainda, o bloco conta também com os chamados “países associados”. São eles: Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Chile.

É válido ressaltar que o Chile deixou o bloco no ano de 1976, uma vez que o Augusto Pinochet, ditador do país, alegou que o país possuía diferentes interesses. Atualmente, porém, o Chile é parte da CAN.

Estão presentes no bloco também os denominados “países observadores”, que podem apenas participar das reuniões do bloco, mas não participam em votações ou decisões. São eles: México e Panamá.

É válido destacar também que a Venezuela se tornou membro da Comunidade Andina das Nações no ano de 1973, mas saiu do grupo em 2006, quando o país estava sendo governado por Hugo Chávez.

A Comunidade Andina de Nações: Características

Podemos observar que os países membros da CAN são aqueles que fazem parte da chamada América Andina, ou seja, países pelos quais passa a Cordilheira dos Andes.

O principal objetivo da Comunidade Andina das Nações é promover o desenvolvimento econômico, político, social e cultural dos países envolvidos através da integração entre esses.

Ao todo, existem cerca de 120 milhões de habitantes no grupo, com um PIB de 400 bilhões de dólares. O grupo conta ainda com órgãos responsáveis pela execução das ações, como a Corte Andina de Justiça, o Parlamento Andino e o Conselho Andino de Ministros das Relações Exteriores.

Podemos citar também a existência da zona de livre-comércio entre os países pertencentes à Comunidade Andina das Nações, facilitando a comercialização de diversos produtos através da redução ou da exclusão de taxas alfandegárias. Além disso, os países membros do bloco podem transitar entre seus territórios sem a necessidade de visto, devido à existência do Passaporte Andino, criado em 2001.

Em 2004, com a Declaração de Cuzco, houve a proposta que Mercosul e Comunidade Andina criassem uma zona de livre-comércio entre os países dos dois blocos, com o objetivo de facilitar as suas relações comerciais. O resultado foi a criação da União de Nações Sul-Americanas, conhecida como UNASUL.

Fonte: Notícias Concursos