Conmebol expõe proposta ao Grêmio, que pode mudar escala na Sul-Americana; foco principal se trata do Covid-19


Um dos fatores que mais causaram ausência de jogadores nos últimos tempos é em decorrência de testarem positivo para o Coronavírus. Todo esse problema trouxe sérios danos aos clubes, que buscam uma solução que os auxilie na caminhada em 2021.

 




 

Pensando nisso, a Conmebol está conseguindo colocar em prática o seu plano de vacinação. Após a doação de 50 mil doses da empresa Sinovac, o processo de imunização já se iniciou, sendo o Atlético-GO, depois da vitória de quinta-feira (6) contra o Libertad no Paraguai, sendo o primeiro brasileiro a aceitar o convite e levar os jogadores até a sede da entidade para a aplicação da primeira dose das vacinas. 

 

 

Porém, o desafio no momento é alavancar o projeto, com o maior número possível de jogadores vacinados, mesmo que isso não seja nada fácil. Se as doses forem enviadas ao Brasil, terão que ser repassadas ao SUS, ou seja, algo descartado, sendo necessário realizar as aplicações no Paraguai. 

 

Grêmio goleou em sua última partida pela competição - Foto: Maxi Franzoi/AGIF.
Grêmio goleou em sua última partida pela competição – Foto: Maxi Franzoi/AGIF.

 

Dessa forma, o que aconteceu com o clube goiano poderá se repetir com outros clubes brasileiros. A proposta da Conmebol, inclusive para  Grêmio e Inter, é a seguinte: quem jogar em Assunção, terá as vacinas à disposição diretamente na sede oficial.

 

 

Como não existe nenhum jogo marcado no país para o Grêmio, que apenas jogará na Colômbia e na Venezuela, a ideia da entidade é que a delegação faça uma escala em Assunção para a vacinação. Por enquanto, este comunicado ainda não foi feito e o presidente Romildo Bolzan já disse em entrevistas entrevistas recentes que não simpatiza com a ideia. 

Fonte: Bola Vip