Conurbação: Entenda esse fenômeno  – Notícias Concursos


A conurbação é um fenômeno urbano ligado ao crescimento das cidades modernas. Ou seja, representa o encontro das fronteiras entre duas ou mais cidades através de um rápido crescimento urbano. 

Em território brasileiro, o processo de conurbação começou a se desenvolver nos anos 50, por conta da modernização do país oriunda do crescimento industrial e urbano. 

Dessa maneira, fica evidente o processo de conurbação em várias capitais do Brasil, sobretudo na cidade de São Paulo a maior do país e uma das maiores do planeta. 

Em outros países podemos destacar regiões metropolitanas de Londres, Nova York e Tóquio, pois passaram pelo processo de conurbação logo após a Segunda Guerra Mundial. 

O processo de conurbação poderá aparecer em provas de vestibulares, assim como no Enem. Por isso acompanhe o artigo e saiba mais sobre!

Processo de conurbação: Como ele acontece?

Com o processo de urbanização cada vez maior, a conurbação passa a integrar várias cidades. Por isso, os limites geográficos entre as cidades “desaparecem”. 

Em grande parte não é tão notório quando termina uma cidade e começa outra, podendo ser separadas por uma rua ou avenida. 

Desse modo, o processo de conurbação necessita de planejamento, controle urbano e políticas governamentais para os locais conurbados, afinal ocorre a dependência entre as cidades. 

Consequências

A conurbação pode acabar desenvolvendo vários problemas aos municípios, afinal pode afetar o sistema de transporte, aumentar a violência, diminuir a qualidade de vida, entre outros. 

Ademais, pode acabar gerando conflitos entre as estruturas administrativas e políticas das cidades envolvidas. 

Todavia, alguns pontos positivos também podem ser destacados, como uma maior oferta de emprego, assim como aproveitar melhores condições oferecidas por municípios vizinhos; como:

  • Sistema de saúde 
  • Educação
  • Lazer 
  • Entre outros 

Vale destacar que essas cidades estão muito próximas, mas podem apresentar custos de vida diferentes. 

Por isso, muitas pessoas trabalham na cidade com maior oferta de trabalho e residem em cidades próximas com custo de vida mais baixo. 

Por fim, essas cidades acabam conhecidas como “cidades dormitórios”, ou seja, aquelas em que as pessoas possuem residência, mas precisam se deslocar todos os dias para trabalhar. 

E então, gostou de saber um pouco mais sobre o processo de conurbação?

Não deixe de ler também – Para estudar: Entenda a macrocefalia urbana

Fonte: Notícias Concursos