Dom Pedro II: Juventude, regência e coroação


Pedro II foi Imperador do Brasil de 1841 a 1889. Historiadores dizem que foi um governante que manteve a nação unida em tempos caóticos. Além disso, muitos livros indicam que se tratava de um homem de temperamento equilibrado e inteligente, geralmente respeitado por seu povo.

Será que é verdade mesmo? Bom, conheça o início da história de Pedro II como Imperador do Brasil.

O império do Brasil

Em 1807, a família real portuguesa, a Casa de Bragança, fugiu da Europa um pouco antes das tropas de Napoleão. A governante, D. Maria, tinha problemas mentais e as decisões foram tomadas pelo príncipe herdeiro João.

João trouxe sua esposa Carlota da Espanha e seus filhos, incluindo um filho que viria a ser Pedro I do Brasil . Pedro casou-se com Leopoldina da Áustria em 1817.

Depois que João voltou a reivindicar o trono de Portugal após a derrota de Napoleão , Pedro I declarou o Brasil independente em 1822. Pedro e Leopoldina tiveram quatro filhos que sobreviveram até a idade adulta: o mais novo, nascido em 2 de dezembro de 182, também se chamava Pedro e se tornaria Pedro II do Brasil quando coroado.

Juventude de Pedro II

Pedro perdeu os pais muito cedo. Sua mãe morreu em 1829 quando Pedro tinha apenas três anos. Seu pai Pedro, o mais velho, retornou a Portugal em 1831 quando o jovem Pedro tinha apenas cinco anos: Pedro, o mais velho, morreria de tuberculose em 1834.

O jovem Pedro teria a melhor escolaridade e tutores disponíveis, incluindo José Bonifácio de Andrada, um dos principais intelectuais brasileiros de sua geração.

Além de Bonifácio, as maiores influências no jovem Pedro foram sua amada governanta, Mariana de Verna, a quem ele carinhosamente chamava de “Dadama” e que era uma mãe substituta do menino, e Rafael, um afro-brasileiro veterano de guerra que havia sido um amigo íntimo do pai de Pedro.

Ao contrário do pai, cuja exuberância impedia a dedicação aos estudos, o jovem Pedro foi um excelente aluno.

Regência e Coroação de Pedro II

Pedro, o mais velho, abdicou do trono do Brasil em favor de seu filho em 1831: Pedro, o mais novo, tinha apenas cinco anos. O Brasil foi governado por um conselho de regência até Pedro atingir a maioridade.

Enquanto o jovem Pedro continuava seus estudos, a nação ameaçava desmoronar. Os liberais de todo o país preferiam uma forma de governo mais democrática e desprezavam o fato de o Brasil ser governado por um imperador.

Revoltas estouraram em todo o país, incluindo grandes surtos no Rio Grande do Sul em 1835 e novamente em 1842, Maranhão em 1839 e São Paulo e Minas Gerais em 1842.

O conselho regencial mal conseguiu manter o Brasil unido por tempo suficiente para entregá-lo a Pedro. As coisas pioraram tanto que Pedro foi declarado maior de três anos e meio antes do tempo: ele foi empossado imperador em 23 de julho de 1840, aos quatorze anos, e oficialmente coroado cerca de um ano depois, em 18 de julho de 1841.

Pedro II, imperador do brasil

Pedro foi testado cedo e frequentemente como Imperador e consistentemente provou ser capaz de lidar com os problemas de sua nação. Ele mostrou uma mão firme com as contínuas revoltas em diferentes partes do país.

O ditador da Argentina Juan Manuel de Rosas frequentemente encorajava a dissensão no sul do Brasil, na esperança de arrancar uma ou duas províncias para aumentar a Argentina: Pedro respondeu juntando-se a uma coalizão de estados argentinos rebeldes e o Uruguai em 1852 que depôs Rosas militarmente.

O Brasil viu muitas melhorias durante seu reinado, como ferrovias, sistemas de água, estradas pavimentadas e instalações portuárias melhoradas. Uma relação próxima e contínua com a Grã-Bretanha deu ao Brasil um importante parceiro comercial.

E então, gostou de conhecer o tema?

Não deixe de ler também – Dom Pedro I: Vinda para o Brasil e Independência

Fonte: Notícias Concursos