‘Ele não pularia dali sem um estímulo’, diz viúva de MC Kevin


Viúva do MC Kevin, a advogada Deolane Bezerra disse nesta quinta-feira não acreditar que o funkeiro pularia da varada do quinto andar do hotel onde ele estava, na Barra da Tijuca, sem um estímulo, “sem alguém falando algo”. As declarações foram dadas em entrevista ao jornalista Roberto Cabrini, da TV Record, que teve um primeiro trecho exibido no programa “Balanço Geral” e outro no “Cidade Alerta”. Ao falar sobre aquela noite do último dia 16 de maio, quando o cantor morreu após a queda, Deolane afirma ainda que os depoimentos prestados até agora não deixam clara uma “fundamentação para o ato”. E diz acreditar que possa ter ocorrido uma briga no quarto antes do incidente.

Segundo a advogada, ela estava dormindo em outro quarto, do 11º andar, quando tudo aconteceu. Enquanto isso, de acordo com as versões relatadas na 16ª DP (Barra da Tijuca), no 5º andar o artista e amigos tinham uma noite de bebida, drogas e sexo. Como contou a modelo Bianca Dominguez na delegacia, ela quem estaria na varanda com o MC quando ele, com medo de ser flagrado pela mulher, pulou e ficou pendurado pelos braços até perder as forças e cair. Perguntada se acreditava que Kevin arriscaria a própria vida para que a traição não fosse descoberta, Deolane disse que não.

– Eu acredito que ele saberia contornar a situação e me levar embora. Não acredito que ele pularia dali. Eu não sei. Eu acredito que ele não pularia dali sem um estímulo, sem alguém falando algo. E, do jeito que é relatado nos depoimentos, não traz uma fundamentação para o ato. Não tem nada que mostre: ‘foi por isso’ ‑ disse Deolane a Roberto Cabrini.

Ao ressaltar que ainda busca explicações sobre o que aconteceu, a advogada sugeriu que o uso das camisinhas disponíveis naquela noite pode ter provocado um desentendimento no quarto.

– Houve briga, porque o VK (Victor Elias Fontenelle, o MC VK, amigo de Kevin) usou a camisinha e ele queria pagar o suposto programa – afirmou a viúva, emendando com uma pergunta ao ser indagada sobre a explicação de que MC Kevin teria pulado por medo de um flagrante da esposa. – Ou alguém assustou ele? – rebateu Deolane, afirmando que enxerga “mentira” nos depoimentos sobre o caso.

Ela contou ainda qual seria sua reação caso, realmente, tivesse flagrado uma traição:

– (Teria) Batido palma e falado: ‘você me perdeu’. Eu nunca teria ido para cima dele. Porque eu não tenho força com o Kevin. A gente não saía na mão, como no ditado popular. A gente não se agredia. Disputava quando nós terminávamos. Veja fotos da despedida de MC Kevin, em São Paulo

A advogada relatou que, naquela noite, ao acordar, viu uma mensagem no celular, em que sua sogra perguntava se estava tudo bem. Deolane, então, respondeu dizendo que estava dormindo. Em seguida, uma amiga ficou com ela no quarto. Outro amigo desceu para procurar Kevin. Segundo a viúva, ela acreditava que o funkeiro estava bebendo, mas não sabia “nem os quartos que as pessoas estavam”.

‘Dei um tapa na cara dela’
Ao ser comunicada sobre a queda de MC Kevin, ela não acreditou. “Tá louco?”, repetiu ela. A mulher de MC Kevin, no entanto, fala que não deixaram que ela tivesse acesso ao corpo do artista, possivelmente para evitar que ela cruzasse com Bianca. As duas, no entanto, acabariam se encontrando da delegacia da Barra.

– Dei um tapa na cara dela, porque vi ela e o VK cochichando. Na verdade, eu queria bater no Victor. Só que, como eu vi ela fazendo isso, dei um tapa na cara dela – disse Deolane, suspeitando que os dois poderiam estar combinado seus depoimentos.

Deolane contou ainda que MC Kevin costumava usar maconha com frequência. Mas, naquele dia, eufórico com o show para mais de 2 mil pessoas no Rio, ele também tinha usado a droga sintética MD.





Fonte: iBahia