Entenda melhor a psoríase e os fatores que podem ajudar ou piorar


A psoríase é uma doença inflamatória crônica que atinge a pele e as articulações. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), é uma doença de pele relativamente comum, de causa desconhecida e não contagiosa, mas tem grande impacto na qualidade de vida e na autoestima, o que pode piorar o quadro. Recentemente, a cantora Kelly Key comentou que tem diagnóstico positivo para doença. 

Na pele, as lesões aparecem como placas vermelhas e descamativas na forma mais frequente, e nas articulações pode ter dor e edema. Atinge entre 1 e 2% da população e é cíclica, ou seja, apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem periodicamente.  

Mas de acordo com a dermatologista Vitoria Regina Rêgo, professora adjunta de Dermatologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), a psoríase é uma doença controlável, e atualmente existem muitas opções de tratamento, como a fototerapia, que utiliza a radiação UVA e UVB, e tem efeito anti-inflamatório. “É considerada uma boa opção de tratamento em todos os tipos clínicos da doença, com mínimos efeitos colaterais”, explica.

O que causa, e os fatores que pioram

A dermatologista explica que fatores etiológicos, genéticos e ambientais estão envolvidos na causa da psoríase, e outras ocorrências também podem piorar a doença, como o uso de alguns medicamentos como lítio e betabloqueadores; infecções bacterianas e virais, e o estresse. “Existem evidências de que os tensões psicológicos podem, sim, agravar o quadro, e sendo uma doença que impacta muito na qualidade de vida o controle dos sintomas é fundamental”, esclarece a dermatologista.

Foto: reprodução / Revista ABM

Dra. Vitória explica que uma alimentação equilibrada e hábitos saudáveis de vida, como praticar exercícios físicos, evitar o tabagismo e o excesso de bebida alcoólica são essenciais e ajudam no controle do quadro. “E um dermatologista deve ser procurado aos sinais dos primeiros sintomas”.

O sol e a alimentação podem ajudar

Ao contrário do que algumas pessoas imaginam, o sol não é fator de piora no quadro de psoríase. “Ao contrário, é um grande aliado na melhora desde que, evidentemente, com todos os cuidados orientados pelo dermatologista”, explica Dra. Vitória.

Com relação à alimentação, a dermatologista esclarece que existem evidências que alguns alimentos podem ajudar nos quadros inflamatórios, como peixes, verduras, legumes, sementes e azeite de oliva.

Partes do corpo mais atingidas

A psoríase pode atingir o corpo todo, mas geralmente as lesões são mais frequentes no couro cabeludo, cotovelos, pernas, joelhos, genitália e tronco, podendo também, raramente, atingir os lábios.

Por ser uma doença crônica com apresentação clinica diversa, o tratamento varia de acordo com a forma, a localização da doença, e a idade da pessoa. “São diversos fatores que levam o médico a definir o tratamento, que pode variar de apenas medicações tópicas, a fototerapia, medicações sistêmicas e orientações sobre as comorbidades que o paciente possa apresentar, como o sobrepeso, e doenças cardiovasculares, além do impacto na qualidade de vida”, esclarece a dermatologista.

No site da Sociedade Brasileira de Dermatologia é possível saber mais sobre a doença. Clique aqui





Fonte: iBahia