Goiás anuncia que vai pagar auxílio para professores da rede estadual


Os professores da rede estadual de Goiás irão começar a receber uma espécie de auxílio internet. De acordo com o Governo do estado, a ideia é que cada um desses profissionais receba R$ 100 por mês para pagar as despesas com a banda larga.

O Governo disse ainda que esse auxílio vai ser pago junto com o salário. Então quando os professores receberem o salário de maio, perceberão um aumento de R$ 100 no valor total. Isso vai durar pelo menos até o final do ensino remoto no estado.

Ainda de acordo com o Governo local, os professores estão precisando muito usar uma internet banda larga de qualidade neste momento. É que com as aulas remotas, eles precisam pagar por provedores melhores para oferecer aulas também melhores para os seus alunos.

Os professores afirmam que o uso da internet é importante não apenas no momento da aula em si, mas também na preparação desses encontros. Normalmente, eles usam a banda larga para pesquisar sobre temas, baixar conteúdos e enviar materiais para os estudantes.

O Governo do estado afirma que 22.651 professores da rede estadual de ensino irão receber esse dinheiro a partir do próximo pagamento. Não é preciso fazer nenhum tipo de inscrição. Isso porque a Secretaria de Educação tem a folha de pagamento de todos esses profissionais. Trata-se portanto de um auxílio automático.

Professores na pandemia

Não há dúvidas de que uma das profissões que mais ficaram no centro das atenções nesta pandemia foi a do professor. É que muitos deles tiveram que se reinventar em todo esse processo de aulas remotas. Uma parte desses profissionais, sequer tinham acesso à internet de qualidade.

No entanto, a discussão para esse setor trabalhista foi além da questão das aulas. Eles também pediram por prioridade na vacinação contra a Covid-19. Em alguns estados, esses profissionais conseguiram isso. Na Paraíba, profissionais da educação estão recebendo a primeira dose, na cidade de João Pessoa.

No entanto, ainda não há uma decisão de caráter nacional quanto a isso. Boa parte dos sindicatos que representam esses trabalhadores afirmam que o ideal é vacinar todos os empregados da educação antes de um retorno escolar presencial neste momento.

Pesquisa Datafolha

Nesta terça-feira (18), o Instituto Datafolha divulgou uma pesquisa que mostra que a maioria da população é contra o retorno escolar presencial agora. Para 48% da população, os estados não devem retornar com essas atividades neste momento.

De acordo com os dados das secretarias estaduais de saúde, o Brasil registra até esta terça (18), um total de 15,7 milhões de casos e 437 mil mortes por Covid-19. O país é portanto um dos que mais estão sofrendo com a doença em todo o mundo. E é justamente por isso que há uma preocupação com os professores.

Além desses trabalhadores, vários outros setores trabalhistas estão pedindo prioridade na vacinação contra a Covid-19. É o caso dos motoristas e cobradores de ônibus, por exemplo. Os atendentes da Caixa Econômica Federal chegaram a realizar uma greve para pedir pelas aplicações das doses.

Fonte: Notícias Concursos