Qual Lucão chega no Guarani? Aquele dos tempos de Criciúma, ótimo!


Brasileiro

Qual Lucão chega no Guarani? Aquele dos tempos de Criciúma, ótimo!

Centroavante era cobrado pela torcida bugrina

Publicado em 27/05/2021
por ARIOVALDO IZAC – –

Há tempos a torcida bugrina cobrava dos dirigentes o chamado camisa nove.

Eis que aí chegou Lucão do Break, 29 anos, autêntico centroavante. O homem de área que, como bem definia o saudoso e lendário Vavá, ‘centroavante é o jogador que vive de resto. Sobrou na área ele empurra pra dentro’.

Resta saber qual Lucão o Guarani está contratando.

Lucão: tempos de Criciúma

Lucão: tempos de Criciúma

Aquele que, jogando no peso dos 79 quilos, nos tempos de Criciúma (SC) em 2017, aterrorizava a zagueirada, ou de passagens por Fluminense, Goiás e CRB, quando a caixa torácica mais avantajada é perceptível, com suspeita de uns quilinhos a mais.

DESAFIO

Aquele Lucão de 2017, na chegada ao Criciúma, transformou palavras em objetivo: “Estava esperando muito essa oportunidade de jogar em clube com calendário, e ter segurança na equipe”, disse ao jornal Diário Catarinense,

Contratado pelo Fluminense, a constatação foi de boleiro de frase pronta, como ocorreu na primeira entrevista: “Chego ao Fluminense para o maior desafio na minha carreira”.

Como o vento costuma levar as palavras, o desafio foi transferido quando chegou ao Goiás, e parecia o real reencontro com a sua marca de artilheiro: 21 gols em 45 partidas, na temporada de 2018.

No entanto, cadê a regularidade de Lucão? Em 5 de dezembro passado o portal esportegoiano.com.br publicou matéria sobre a dispensa dele.

Se para centroavante – em forma ou não – sobra mercado, Lucão foi recepcionado no CRB com grande expectativa.

E até marcou quatro gols no Campeonato Alagoano e outros quatro na Copa do Nordeste desta temporada, em nove partidas por cada competição.

RESERVA E GUARANI

Lucão: passagem pelo CSA

Lucão: passagem pelo CSA

Todavia, nas últimas rodadas do estadual ficou na reserva, e quando entrou em campo no segundo tempo da final contra o CSA, no final de semana, estava travado.

Logo, sequer houve interesse do CRB pela renovação de contrato, com vencimento no final do mês.

Como centroavantes não perdem espaço, o Guarani optou por acolhê-lo para a Série B do Brasileiro.

Aí resta a inevitável pergunta: que Lucão está desembarcando em Campinas?

Aquele que, ao chegar no Criciúma, manteve-se em forma e cumpriu a promessa de fazer gols, ou aquele que oscilou na sequência da carreira?

Hoje, a caixa torácica dele é típica daquela zagueirada do passado, que se impunha pela força física?

DESENHO TÁTICO

Se o Guarani contar com aquele Lucão dos tempos de Criciúma, então que o treinador Daniel Paulista trate de organizar jogadas de fundo de campo, quando o cruzamento é feito para trás e encontra o atacante de frente para o gol adversário, e provoca embaraço a zagueiros.

Esse tipo de jogada anda tão fora de moda que é desprezada até em clubes de treinadores tidos estudioso, que preferem toque de bola por dentro, nas proximidades da área adversária.

Se Lucão recuperar aquela agilidade de outrora, certamente será protagonista naquelas bolas repartidas com a becaida.

Caso isso ocorra, o Guarani terá muito a ganhar. Há tempo não conta com o homem-gol.


Fonte: Futebol Interior