Seleção do Paulistão tem base do São Paulo sob o comando de Crespo


Paulista

Seleção do Paulistão tem base do São Paulo sob o comando de Crespo. Confira!

Weverton e Rony (Palmeiras), Léo Ortiz e Claudinho (Red Bull Bragantino) e Bruno Mezenga (Ferroviária) fecham a lista

Publicado em 24/05/2021
por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 24 (AFI) – A Seleção do Paulistão 2021 está escalada. Votada por capitães e treinadores dos 16 clubes que disputaram a competição, além de jornalistas do canal Premiere, o time selecionado tem representante de quatro times, com destaque para o campeão São Paulo, com seis atletas, além do técnico argentino Hernán Crespo.

Palmeiras e Red Bull Bragantino aparecem com dois jogadores cada, além de Bruno Mezenga, principal goleador do estadual.

Seleção do Paulistão tem base do São Paulo sob o comando de Crespo

Seleção do Paulistão tem base do São Paulo sob o comando de Crespo

CONFIRA A SELEÇÃO:
Goleiro

Weverton (Palmeiras): a meta da Seleção do Paulistão tem o arqueiro palmeirense como representante. Figura frequente na lista de convocados da Seleção Brasileira, o goleiro alviverde á apontado como um dos melhores da posição no futebol brasileiro.

Lateral direito
Daniel Alves (São Paulo): torcedor assumido do São Paulo, o jogador é o maior vencedor do futebol mundial com 41 títulos. Com um gol na competição, o veterano é um dos pilares do elenco tricolor e levou o clube do Morumbi a chegar ao seu 22º estadual.

Zagueiros
Léo Ortiz (Red Bull Bragantino): desde 2019 no clube de Bragança Paulista, o defensor é marcado pela eficiência técnica e qualidade nos desarmes e saída de bola. O zagueiro ajudou o Red Bull Bragantino a alcançar a terceira melhor campanha geral da primeira fase.

Miranda (São Paulo): ídolo do São Paulo, Miranda retornou ao Morumbi na atual temporada com a missão de recolocar o Tricolor no caminho dos títulos. E logo em seu primeiro campeonato, o capitão da final liderou seus companheiros a mais uma conquista em sua carreira vitoriosa.

Lateral esquerdo
Reinaldo (São Paulo):
identificado com o São Paulo, Reinaldo chegou ao clube em 2013. Após empréstimos para Ponte Preta e Chapecoense, o jogador é titular da ala esquerda são-paulina desde 2018 e alcançou o primeiro caneco pelo clube do Morumbi.

Meio-campistas
Luan (São Paulo):
da safra “Made in Cotia”, Luan foi o autor do gol que abriu caminho para o título são-paulino no último domingo (23). Vitorioso na base são-paulina, o volante conquistou a sua primeira taça pelo profissional do time tricolor.

Claudinho (Red Bull Bragantino): ser eleito para os melhores dos campeonatos que disputa virou rotina na carreira de Claudinho. O meio-campista já havia sido eleito para a seleção do último Brasileirão. O camisa comandou o meio-campo do time de Bragança Paulista na boa campanha do estadual.

Benítez (São Paulo): o craque argentino chegou nesta temporada ao São Paulo, mas parece que já veste a camisa tricolor há anos. O jogador foi a principal arma ofensiva são-paulina e comandou o meio-campo da Seleção do Paulistão Sicredi. Além de ser eleito como um dos melhores, o meia levou o Craque da Competição e o Craque da Galera (voto popular).

Atacantes
Rony (Palmeiras):
autor do gol da classificação às semifinais diante do Red Bull Bragantino, Rony é uma das principais armas ofensivas do vice-campeão Palmeiras. Reforço na última temporada, o jogador cresceu de rendimento com a chegada do técnico Abel Ferreira e é um dos jogadores mais exaltados pela torcida palmeirense por sua entrega.

Pablo (São Paulo): artilheiro do campeão São Paulo, Pablo foi às redes em cinco oportunidades na atual edição do Paulistão Sicredi. Referência no comando de ataque, o jogador se firmou com o técnico Hernán Crespo, que também foi centroavante, e ajudou o clube a quebrar o jejum de títulos.

Bruno Mezenga (Ferroviária): toda seleção tem um grande goleador e Bruno Mezenga não poderia ficar de fora da lista. Com nove gols, o jogador foi a principal referência de ataque da Ferroviária e ajudou o clube de Araraquara a chegar às quartas de final.

Técnico
Henán Crespo (São Paulo):
contratado para ser o comandante tricolor, o técnico argentino conduziu a melhor campanha geral da primeira fase e se manteve embalado no mata-mata. Com 77% de aproveitamento no estadual, Crespo entrou para a história do clube e do futebol paulista como o nono estrangeiro a ser campeão, o primeiro em 46 anos. O último havia sido o também argentino José Poy, em 1975.

OUTRAS PREMIAÇÕES
Craque do Campeonato:
Benítez (São Paulo)
Craque da Galera (eleito por voto popular): Benítez (São Paulo)
Revelação: Renan (Palmeiras)
Artillheiro: Bruno Mezenga (Ferroviária)
Craque do Interior: Claudinho (Red Bull Bragantino)
Rei das Redes (eleito por voto popular): Hernán Crespo (São Paulo)
Lei do Ex (eleito por voto popular): Luciano (São Paulo)
Melhor Defesa (eleito por voto popular): Tiago Volpi (São Paulo)


Fonte: Futebol Interior