Um salário do judiciário pagaria 80 Auxílios Emergenciais, diz IPEA


Apenas um salário do poder judiciário seria equivalente ao pagamento de pouco mais de 80 Auxílios Emergenciais no Brasil. Pelo menos é isso o que dá para constatar depois que o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) divulgou novas informações sobre os salários do Governo.

De acordo com o IPEA, o poder judiciário é o que registra, de longe, os salários mais altos de todas as esferas do Governo no país. Para se ter uma ideia, eles recebem em média hoje no Brasil o montante de R$ 12.111. Vale lembrar que esse é um salário mensal médio de um magistrado considerando todas as esferas do Governo.

Esse dinheiro seria equivalente ao pagamento de 80 parcelas do Auxílio Emergencial de R$ 150. Esse é o menor valor que o Governo está pagando este ano. Como são quatro parcelas do benefício, então um salário de um servidor pagaria o benefício de 20 pessoas diferentes no Brasil.

Os números são altos, mas quando se considera apenas os dados da média salarial dos magistrados de nível federal, esses dados ficam ainda maiores. De acordo com o IPEA, esse salário pagaria mais de 100 parcelas do Auxílio. É uma diferença gritante.

Nas outras esferas de poder, aliás, os números também são grandes, mas em uma proporção menor. O salário de um servidos do legislativo pagaria algo em torno de 40 Auxílios Emergenciais. Um salário médio de alguém que trabalha no poder executivo pagaria 26 parcelas do benefício.

  • Judiciário – salário médio (R$ 12.111) : 80 parcelas do Auxílio.
  • Judiciário nível federal – salário médio (R$ 15.274): 101 parcelas do Auxílio.
  • Legislativo – salário médio (R$ 6.011): 40 parcelas do Auxílio.
  • Executivo – salário médio (R$ 4.026): 26 parcelas do Auxílio.

Valor do Auxílio Emergencial

Desde que o Governo Federal começou a pagar o novo Auxílio Emergencial, muita gente critica os valores do programa em questão. De acordo com o Ministério da Cidadania, que responde pelo programa, as parcelas este ano variam entre R$ 150 e R$ 375. Os recebimentos variam de pessoa para pessoa.

No entanto, o próprio Ministério admite que a grande maioria dos beneficiários recebe mesmo o valor menor, que é esse de R$ 150. Nas redes sociais, muita gente tenta fazer pressão para que o Governo aumente os valores desse projeto. No entanto, o Governo afirma que não pode fazer isso.

De acordo com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, o país precisa respeitar o teto de gastos do próprio Auxílio. Esse teto em questão é de R$ 44 bilhões. A previsão é que vai sobrar alguns bilhões deste montante. Mesmo assim, o Governo afirma que não pode aumentar as parcelas.

Diferença de valores

Nas redes sociais, algumas pessoas estão pedindo para que deputados e servidores com grandes salários diminuam suas rendas para aumentar o Auxílio Emergencial. Especialistas, no entanto, dizem que isso é quase impossível de acontecer no Brasil. Dificilmente alguém aprovaria uma lei assim.

Seja como for, os dados do IPEA acabam dando uma noção da desigualdade social no país. É que enquanto algumas pessoas recebem salários muito acima da média, milhões de outros não estão conseguindo sobreviver com o pouco que conseguem no mês.

De acordo com dados oficiais, uma pessoa que recebe o Auxílio não consegue comprar uma cesta básica nas principais cidades do país. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo, uma cesta básica costuma custar mais de R$ 600 em média.

Fonte: Notícias Concursos