Após ser internado com Covid, morre maior artilheiro do Botafogo-SP


Brasileiro

Luto! Após ser internado com Covid, morre maior artilheiro do Bota-SP e carrasco do Bugre

O Sepultamento está marcado para as 15h30 no Cemitério da Saudade, em Ribeirão Preto

Publicado em 03/06/2021
por Agência Futebol Interior

Ribeirão Preto, SP, 03 (AFI) – Morreu nesta quinta-feira Benedicto Antonio Angeli, o Antoninho, maior artilheiro da história do Botafogo-SP. Segundo familiares, o ex-jogador e treinador estava internado com Covid-19 e acabou não resistindo às complicações da doença.

O Sepultamento está marcado para as 15h30 no Cemitério da Saudade, em Ribeirão Preto. Não haverá velório devido à causa do falecimento. O Botafogo decretou luto oficial de três dias.

Antoninho nasceu em Águas de Lindoia e estava no Palmeiras quando despertou o interesse do Botafogo-SP, após marcar dois gols contra a equipe de Ribeirão Preto no Torneio Início do Campeonato Paulista de 1958. Atuou também por Fiorentina, da Itália, e pelo próprio Comercial.

Pelo Botafogo, marcou 148 gols em 11 anos de idas e vindas pelo clube. Teve destaque importante em 1960, quando marcou 13 dos 34 gols da equipe no primeiro turno do Paulistão. Um ano antes, marcou seis gols em uma única partida, frente ao Guarani.

“Tive o prazer de conviver com ele como treinador. Foi técnico do Botafogo e das categorias de base. Muito tranquilo, gentil e cavaleiro. Tratou a imprensa com muita cordialidade sempre. É um cara maravilhoso, diferenciado, considerado o maior artilheiro da história do Botafogo. Formou um ataque fantástico em 1960, com Zuíno, Larte, Henrique e Geo. Tem um jogo histórico contra Guarani. Ele marcou seis gols só no primeiro tempo.

Antoninho faleceu nesta quinta-feira

Antoninho faleceu nesta quinta-feira

Ele é pai do Régis Angeli, que jogou na Ponte Preta e que teve o último trabalho realizado no Comercial, na Série A3. É comentarista de rádio e televisão aqui em Ribeirão. É uma perda profunda. Ribeirão não perde só um grande jogador, como um grande homem. A gente lamenta muito a morte do nosso querido Antoninho Pato Rouco.

Ele foi o primeiro jogador de Ribeirão a ser negociado para o exterior, no caso, para a Fiorentina”, disse o jornalista de Ribeirão Preto, Wilson Rocha.

Confira nota oficial do Botafogo:

É com imenso pesar que a diretoria e torcedores do Botafogo receberam na manhã desta quinta-feira (3) a notícia do falecimento de Benedicto Antonio Angeli, o Antoninho, o maior artilheiro da história do clube.

Pai de Regis D’ Angelis, ex-auxiliar e treinador do Tricolor, Antoninho tinha 82 anos.

Natural de Águas de Lindóia, Antoninho liderou o ataque formado por Zuíno, Laerte, Henrique e Geo em 1960, considerado o maior de todos os tempos da história do Botafogo. Na oportunidade, ele fez 13 dos 34 gols marcados pelo Tricolor no primeiro turno do Campeonato Paulista.

Um ano antes, Antoninho também escreveu outro capítulo na história do Pantera: marcou seis gols no primeiro tempo do jogo contra o Guarani.

Além de jogador, Antoninho também foi treinador nas categorias de base e do time principal do Pantera.

“Lamentamos profundamente a morte do Antoninho, o maior artilheiro da história do nosso clube. Ele sempre honrou e levou o nosso clube no coração. Infelizmente, perdemos mais um grande botafoguense”, disse Osvaldo Festucci, presidente do Botafogo.

A diretoria do Botafogo presta os seus mais sinceros sentimentos de condolências à família e amigos e reza para que todos encontrem forças neste momento para superar essa triste perda. A direção decretou luto oficial de três dias.


Fonte: Futebol Interior