Atacante do Sport critica comentarista: “Não me chame de Balada”


Brasileiro

Atacante do Sport critica comentarista do SporTV: “Não me chame de Balada”

André sofreu um ‘apagão’ em uma boate e acabou recebendo o apelido de ‘balada’

Publicado em 01/06/2021
por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 01 (AFI) – Em 2014, André ‘apagou’ em um boate, após muita curtição e bebida, e acabou ganhando o apelido de ‘Balada’, que o acompanha desde então. Na época, atuava pelo Atlético Mineiro.

André não quer mais ser chamado de 'Balada'

André não quer mais ser chamado de ‘Balada’

André já falou muita vezes com muita naturalidade sobre o apelido, mas resolveu disparar contra o comentarista Lédio Carmona, que o chamou de ‘Balada’ em rede nacional. O atacante deixou claro que quer deixar o apelido para trás. No entanto, marcou no Twitter um perfil fake do comentarista. Porém, também soltou uma nota oficial sobre o caso.

“Ao Sr Lédio Casmano, um simples recado…meu nome é André e na sua ficha acredito que esteja André também, então não me chame de André balada quando for fazer seus comentários, por que você não é meu amigo e nem tem intimidade pra isso”, falou o atleta, que foi anunciado pelo Sport no Campeonato Brasileiro.

MAIS DE ANDRÉ
André, 30 anos, estreou contra o Internacional e marcou no empate por 2 a 2. Ele ainda tem passagens por Santos, Dínamo de Kiev, Atlético Mineiro, Vasco, Corinthians, Sporting e Grêmio. Viveu sua melhor fase no Peixe, ao lado de Neymar, conquistando o Paulistão e a Copa do Brasil de 2010, além da Recopa Sul-Americana de 2012.

Confira a nota oficial:

Infelizmente, na transmissão de domingo (dia 30) entre Internacional x Sport, o comentarista Ledio Carmona errou e muito. É inadmissível que o jornalista tenha tal conduta, principalmente por representar a imagem de uma emissora tão gigante como o Sportv.

Tenho respeito por ele, mas é preciso que seja algo recíproco. Sou um homem responsável, experiente e não vou aceitar esse tipo de atitude partindo da imprensa. A foto que gerou o apelido tem quase 10 anos, mas nunca me perguntaram se na época atravessava por problemas particulares. Mesmo assim, assumi o erro e aprendi.

Os número provam isso dentro de campo: são quase 150 gols na carreira, maior artilheiro do Sport em uma edição do Brasileiro, seleção brasileira, títulos, passagens por clube gigantes, entre outras feitos. Algo que tudo isso seria impossível se fizesse jus ao apelido.


Fonte: Futebol Interior