Clubes ingleses da Superliga terão de pagar multa de R$140 milhões


Inglês

Clubes ingleses da Superliga terão de pagar multa superior a R$100 milhões

O “big six” terá de desembolsar, em conjunto, 20 milhões de libras (pouco mais de R$ 140 milhões)

Publicado em 09/06/2021
por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 09 (AFI) – Envolvidos no projeto fracassado da Superliga Europeia, Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham, os seis clubes ingleses que estavam garantidos na competição, assinaram um contrato com a Premier League, que organiza o Campeonato Inglês, pelo qual terão de pagar uma multa.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

PUNIÇÃO

O “big six” terá de desembolsar, em conjunto, 20 milhões de libras (pouco mais de R$ 140 milhões) devido a participação no projeto, que visava enfraquecer a Liga dos Campeões e a Uefa.

Dividido, cada clube terá de pagar aproximadamente R$ 23 milhões de multa. Neste primeiro momento, nenhum time sofrerá punição em pontos após o acordo assinado entre os envolvidos.

O acordo ainda prevê uma nova punição de 25 milhões de libras (cerca de R$ 178 milhões), além da perda de 30 pontos no Campeonato Inglês em caso de reincidência no projeto. O dinheiro arrecadado pela Premier League será destinado a instituições sociais e organizações que trabalham com a formação de jogadores de futebol na Inglaterra.

CENÁRIO

Os clubes ingleses – assim como Milan, Internazionale e Atlético de Madrid – entraram em acordo com a Uefa. Enquanto isso, Real Madrid, Barcelona e Juventus não abandonaram a ideia da Superliga Europeia e sofrem ameaças da entidade que regula o futebol no continente.

A competição deveria ser disputada por 20 clubes, 15 dos quais fundadores – apesar de só terem sido revelados 12 deles – e outros cinco, qualificados anualmente. Entretanto, a Uefa avisou que iria excluir todos os times que integrassem a Superliga Europeia, assegurando contar com o apoio das federações nacionais de Inglaterra, Espanha e Itália, bem como das ligas de futebol destes três países.

Algumas horas depois, após sofrerem grande contestação dos torcedores e críticas do primeiro-ministro Boris Johnson, os seis clubes ingleses anunciaram a saída do projeto, que acabou por fracassar.


Fonte: Futebol Interior