O que acontece quando excluo meu perfil em um aplicativo de namoro?


Para encontrar um (a) companheiro (a), as pessoas costumam apostar em aplicativos e sites de namoro online. O problema é que o uso, na maioria das vezes, não é por um longo período e bate aquela dúvida: o que acontece com os dados cadastrados na plataforma? Os dados são apagados quando se opta por não usar mais? E quais são os dados coletados? 

A Avast, empresa especializada em privacidade e segurança digital, alerta que se a pessoa usou um site ou aplicativo de namoro online, então, forneceu a eles muitas informações confidenciais. Os sites como OkCupid e Match.com são explícitos sobre isso, fazendo uma lista de perguntas para que possam recomendar ao usuário um parceiro para namoro online. Os sites como o Tinder e o Grindr, por outro lado, coletam muitos dados em segundo plano, muitas vezes sem que a pessoa saiba. E todos afirmam utilizar inteligência artificial, para encontrar o parceiro certo para cada usuário. O problema é que não fica claro quais dados estão sendo coletados, os motivos ou como isso afeta de fato a busca pelo (a) parceiro (a).

A inteligência artificial requer muitos dados para funcionar, o que explica a razão dos sites de namoro coletarem tantas informações. Eles precisam desses dados para melhorar os seus serviços para ganhar mais clientes e, em alguns casos, vender os anúncios ou compartilhar as informações do usuário com corretores de dados terceirizados. “Eles ganham dinheiro coletando seus dados e vendendo-os”, comenta  diz Jen Caltrider, principal investigadora do guia *Privacy Not Included da Mozilla.

Caltrider também ressalta que esses sites, como muitas empresas, não são imunes a ameaças à segurança. “Quase todos os principais sites ou aplicativos de namoro tiveram os seus dados comprometidos em algum momento”, diz.

Foto: reprodução / Pixabay

Portanto, se um usuário enviou muitas informações extremamente pessoais para um aplicativo ou site de namoro, o que acontece quando esse usuário sai do app ou do site? Emma McGowan, Especialista em Segurança da Avast, conduziu uma análise e chegou às seguintes conclusões:

  • Quais dados os perfis de namoro online coletam?

Existem muitos sites e aplicativos de namoro online, então, McGowan se concentrou nos principais: Match Group (que inclui, mas não está limitado a OkCupid, Match.com, Tinder, Hinge e PlentyOfFish), Grindr, Bumble e Spark Networks, que inclui Jdate e ChristianMingle.

– Quais dados o Match Group coleta? O Match Group é enorme e abrange nove sites e aplicativos, incluindo alguns dos mais populares. Cada serviço coleta dados ligeiramente diferentes para fornecer resultados ligeiramente diversos. Por exemplo, o Match.com é normalmente para pessoas que procuram por um parceiro para toda a vida, enquanto o Tinder é mais usado para marcar encontros por pouco tempo, e os dados dos quais eles precisam para entregar esses resultados são diferentes.

No mínimo, um site ou aplicativo do Match Group deve saber o seu gênero, localização e preferências sexuais ou românticas. O Match Group afirma que não compartilha as informações dos usuários entre suas marcas para fins comerciais, a menos que a pessoa solicite, mas também afirma em sua política de privacidade que pode compartilhar esses dados dentro do Match Group para “fins limitados e críticos, incluindo auditorias análises e relatórios consolidados, para cumprir a legislação aplicável e ajudar a manter os usuários seguros.

– Quais dados o Grindr coleta? O Grindr solicita muitas informações pessoais, incluindo algumas delas óbvias como nome, e-mail, número de telefone, data de nascimento, status de HIV, localização, fotos e vídeos, e outras menos óbvias como sobre a atividade do usuário, informações técnicas de hardware e software, sensor e atividade de cookies, além de “outras tecnologias de rastreamento”. E embora sua base de usuários seja frequentemente vulnerável, especialmente em países com leis anti-LGBTQIA+, o Grindr não tem um grande histórico no que diz respeito a manter todas essas informações seguras, pelo menos sob os seus proprietários anteriores. Isso é preocupante, considerando o quão comum é a nudez no aplicativo, o que não é um problema em si, mas abre a possibilidade de exposição. Os novos proprietários do Grindr lançaram uma nova plataforma de gerenciamento de consentimento em abril de 2020, a qual inclui suas práticas de compartilhamento de dados e seus prazos de retenção de informações. A empresa afirma que está guardando os dados por um período menor de tempo, o que é uma boa notícia para os usuários, pois quanto menos tempo as fotos e mensagens permanecem no servidor, há uma menor probabilidade de que alguém as encontre inesperadamente.

– Que dados o Jdate e o ChristianMingle coletam? O Jdate e o ChristianMingle são dois sites de namoro com foco em religião e de propriedade da Spark Networks. O Jdate é um site de namoro para pessoas da Diáspora judaica, que procuram namorar outros judeus e o ChristianMingle possui a mesma finalidade para os cristãos. 

De acordo com a política de privacidade do Jdate, eles coletam informações de contato, como nome, e-mail, número de telefone e endereço. Eles também coletam informações “sensíveis”, como preferências e experiências sexuais, afiliações políticas, religiosas, sindicais e “qualquer informação biométrica que proporcionem”. Depois, há mais dados específicos para encontros e pagamento. Isso inclui data de nascimento, vídeos, senha, além de informações de faturamento, cartão de crédito, demográficas, local de trabalho ou instituição de ensino, interesses pessoais e antecedentes, sexo, idade, preferências de namoro por faixa etária, características físicas, descrição pessoal, experiências de vida, localização geográfica e fotos. 

O ChristianMingle existe desde 2001, o que significa que é bem possível que os filhos das pessoas que se conheceram no site já estejam lá. Ou seja: possuem muitos dados do usuário como nome, sexo, data de nascimento, CEP, pelo menos uma foto, estado civil, frequência à igreja, ocupação, se desejam ter filhos, descrição, interesses, o que o usuário procura, informações de pagamento, comportamento do usuário no site, qualquer conteúdo e metadados de fotos e vídeos, e conteúdos das mensagens.

– Quais dados o Bumble coleta? O Bumble é outro aplicativo que foi fundado, quando uma das co-fundadoras do Tinder se desligou dessa empresa e formou o seu próprio, com o objetivo de atender às necessidades dos usuários. Ele coleta os nomes das pessoas que o utilizam, pelo menos uma foto, a data de nascimento, sexo, tipo de encontro que procuram, ocupação, escolaridade, se têm interesse em namorar durante a pandemia, a cidade, a localidade de origem, exercícios, signo do zodíaco, etilismo, tabagismo, animais de estimação, o que o usuário procura, se deseja ter filhos ou não, religião, posição política e conteúdos das mensagens. De acordo com a política de privacidade do Bumble, eles não “vendem” os dados dos usuários, conforme definição legal de “venda”, mas compartilham os dados demográficos e de localização com anunciantes terceirizados. Eles também compartilham os dados não pessoais com terceiros, para “pesquisas e análises”.

  • O que acontece com os perfis de namoro online, quando o usuário deixa de utilizá-los? Os perfis de namoro online apagam os dados dos usuários?

Infelizmente, a resposta não é tão clara. Emma McGowan, especialista em segurança da Avast, contatou todos os sites e aplicativos mencionados e recebeu apenas uma resposta do Match Group. Neste caso, o seu representante fez referência aos seus “princípios de privacidade”, onde se lê: “Depois que você excluir a sua conta, ela não fica mais visível no serviço. A partir daí, excluímos as informações com base em nossos interesses legítimos, incluindo requisitos legais para reter dados para fins de litígios, atividades para eliminar maus agentes e mantê-los fora de nossas plataformas”.

Quando McGowan apontou que isso realmente não respondia à sua pergunta, que era: “o que acontece se alguém deixar uma conta inativa?”, então, ele não obteve resposta. E uma análise mais detalhada do texto, que foi enviado, nem mesmo responde ao que acontece quando alguém exclui sua conta. O Match ainda tem todos esses dados? Infelizmente, neste momento não é possível afirmar definitivamente nenhuma das duas coisas.

A política de privacidade do Grindr é mais explícita, com relação ao que acontece com certos tipos de dados em sua plataforma. Por exemplo, as mensagens não são armazenadas nos servidores por mais de 48 horas, após a entrega. Eles também excluem as mensagens de vídeo após 14 dias e imagens não identificadas após 120 dias.

Se o usuário excluir sua conta, o Grindr basicamente retira tudo sobre ele após sete dias: endereço de e-mail, número de telefone, nome de exibição e informações sobre o usuário como idade, altura, peso, tipo de corpo, posição, etnia, estado civil, tribos, dados de pesquisa, encontro a informações, tags, interesse em fotos NSFW, gênero, pronomes, status de HIV, data do último teste de DST, foto de perfil, quaisquer redes sociais vinculadas, localização e ID de publicidade.

A Spark Networks, proprietária do Jdate e do ChristianMingle, está sediada na Alemanha, o que significa que está sujeita ao Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR) da Europa. Embora a política de privacidade da Spark Networks não diga nada explicitamente sobre a retenção de dados, ela descreve o fato de que o usuário tem o direito de “ser esquecido”. Isso significa que se o usuário solicitar a exclusão dos seus dados, ela é legalmente obrigada a fazê-lo. No entanto, não responde à pergunta sobre o que acontece se alguém deixar uma conta inativa.

Por fim, o Bumble afirma que deleta os dados do usuário de seus sistemas, 28 dias após a desativação da conta. Mas dizem que retêm todas as informações de que podem precisar, para fins legais (como cumprir a lei aplicável, resolver reivindicações ou disputas pendentes, evitar fraudes ou abusos na plataforma), e não dizem nada sobre contas que ficam inativas. Embora, como muitas das outras plataformas de namoro online, o Bumble diz que eles retêm os dados do usuário apenas pelo tempo que for legalmente necessário e permitido por lei.

  • Os usuários podem excluir seus dados em sites e aplicativos de namoro inativos?

Uma das melhores, e muitas vezes a mais difícil, maneira de se proteger no universo online é deletar contas antigas e, se possível, apagar todos os dados que a conta coletou sobre você. Mas nem todos têm os mesmos direitos.

“Se uma pessoa mora na Califórnia, por exemplo, ela é protegida pela CCPA e tem o direito legal de ter todos os dados apagados. Na Europa e no Reino Unido, ela é protegida pelo GDPR e também tem esse direito. Quando encontra-se em outro lugar, você também deve solicitar que seus dados sejam excluídos e ver como eles respondem. Algumas empresas obedecerão sem hesitação, enquanto você pode ter que defender seus direitos perante os outros “, diz Emma McGowan.

Se um usuário não tiver certeza de quais sites usou anteriormente, ele pode fazer uso de serviços como o BrandYourself, o qual tem uma ferramenta de privacidade, que entrará em contato com as contas antigas associadas ao seu endereço de e-mail e solicitar sua exclusão.





Fonte: iBahia