Protocolo para retorno do público aos estádios no Brasil começa a entrar em pauta


Aos poucos, os países que tiveram mais êxito no controle do avanço do coronavírus e nas estratégias de vacinação estão começando a liberar o público nos jogos de futebol. Recentemente, a Inglaterra liberou um número reduzido de torcedores, sempre em torno de 10 mil, para acompanhar as duas últimas rodadas da Premier League. Na Itália, já é permitida a presença de 500 a 1000 torcedores nos jogos. Outros países sem tanta tradição no futebol já liberaram públicos ainda maiores. Mas, e no Brasil, quando teremos novamente os estádios lotados?

Infelizmente, a pergunta ainda não tem nenhuma resposta concreta, devido à imprevisibilidade da pandemia e à falta de ações efetivas para combater a covid-19. Entretanto, os clubes brasileiros e a CBF já começaram a articular os primeiros debates para promover a volta aos estádios ainda este ano. Alguns dirigentes de times nacionais acreditam que a liberação será possível por volta do mês de setembro.

Além dos clubes e da Confederação Brasileira de Futebol, participarão das conversas profissionais da saúde, autoridades governamentais e o Ministério Público. Inicialmente, a ideia é liberar 30% da capacidade de cada estádio e aumentar a porcentagem de ocupação aos poucos, conforme a vacinação evoluir no país.

O modelo pretendido pela CBF é inspirado diretamente nos protocolos adotados pela FIFA para o Mundial de Clubes disputado no Qatar em fevereiro deste ano. Por lá, a entidade pretendia liberar os mesmos 30% planejados para o Brasil, apenas para residentes no país, mas como a vacinação andou rapidamente, 50% da capacidade dos estádios pôde ser ocupada.

Outra parte importantíssima do protocolo adotado no Mundial e que deve servir de inspiração para a CBF é a exigência de um teste PCR negativado e feito no máximo 72 horas antes do horário de entrada no estádio. No Qatar, os torcedores que comprovaram a aplicação das duas doses da vacina puderam entrar sem apresentar o teste.

A CBF ainda anunciou que pretende realizar a liberação apenas quando ela puder ocorrer em todas as regiões do Brasil, para que não haja nenhuma equipe favorecida com a presença de torcedores. Considerando o tamanho do país e as diferenças nas medidas adotadas para conter a pandemia, esse será um dos maiores obstáculos para a volta do público.

Por isso, é necessário manter os cuidados e se acostumar com assistir as partidas dentro de casa. Conforme a doença for sendo controlada, você poderá criar um clima maior para os jogos, usando uma churrasqueira sem fumaça, que pode ser utilizada em qualquer ambiente e chamando alguns amigos torcedores – de preferência os já vacinados.

Quando começarmos a ver a torcida novamente nos estádios, ainda é preciso ter muito cuidado. A expectativa é que vários hábitos dos torcedores terão que ser levemente alterados para diminuir os riscos, principalmente os que dizem respeito aos gritos e ao contato físico.


Fonte: Futebol Interior