Série D: Goleiro explica revolta e se diz arrependido por soco em árbitro: ‘Totalmente errado’


Manaus, AM, 22 (AFI) – O goleiro Bruno Colaço, do Penarol-AM, se envolveu em uma polêmica no último final de semana pelo Campeonato Brasileiro Série D. Após expulsão, ele reclamou muito e deu um soco no árbitro. Após o episódio, porém, o jogador postou uma nota oficial, explicou a revolta e pediu desculpas pela atitude “totalmente errada e tomada de cabeça quente”.

Bruno Colaço explicou que a revolta não foi a marcação do pênalti em si, pois ele mesmo concorda que foi uma falta clara. Apesar disso, ele afirmou que o árbitro Dagoberto Silva Modesto (TO) não iria dar cartão amarelo, mas que, após pressão dos jogadores do Fast-AM, ele muda de decisão. Foi quando o goleiro xingou o juiz que posteriormente o expulsou. Depois do cartão vermelho, Bruno vai para cima do árbitro e dá um soco.

Mesmo contextualizando a situação, o goleiro reconhece o erro e disse estar totalmente arrependido. “Estou totalmente arrependido, peço desculpas ao árbitro da partida, peço desculpas aos meus companheiros, aos dirigentes, aos torcedores que apoiam e que gostam do clube. Quero dizer que não sou esse monstro que está sendo criado. Todo muno sabe do meu caráter, sabe do legado que sempre deixo. Então que as pessoas possam estar me perdoando por essa atitude e que Deus abençoe todos vocês“, disse.

O clube também emitiu nota oficial. Veja as duas notas na íntegra abaixo:

NOTA DO GOLEIRO

Infelizmente algumas coisas são explicadas somente de uma maneira e acaba não explicando o contexto de toda a situação. Ontem no jogo de ontem eu acabei fazendo um pênalti, um pênalti claro, onde em nenhum momento eu questiono a decisão do pênalti.

O que acontece é que o juiz ele não ia me dar cartão amarelo. Aí um jogador do Fast pressiona ele pra ele me dar o cartão amarelo e ele fala com essas seguintes palavras: “eu não vou dar o cartão porque o corte do atacante foi para a linha de fundo e não em direção ao gol. Então a penalidade já é a punição”. Aí passou alguns segundos, os jogadores do Fast ficam pressionando ele e ele acaba mudando a sua opinião e acaba me dando cartão amarelo.

Aí chego nele e falo que ele tinha acabado de falar que não ia me dar cartão amarelo, mas que com a pressão dos jogadores do Fast, ele acaba me dando cartão amarelo. Aí ele pediu para eu ficar calado, para eu ir para o gol. Aí eu fui e falei para ele: “Pow, para de ser cag… e para de cair na pressão”. Aí no lance ele acaba me expulsando e eu acabo indo no lance indo em direção a ele.

Em nenhum momento o meu pensamento era de agredir ele, mas infelizmente quando ele coloca o cotovelo sobre o meu peito, eu acabo agredindo ele. Uma decisão totalmente errada, uma decisão tomada de cabeça quente. Eu estou muito triste pela situação, muito triste por ter feito isso.

Quem me conhece sabe do meu caráter, sabe do meu legado que sempre deixo onde eu passo. Se você for olhar a minha carreira, em quase todos os times eu fui capitão da equipe. Tenho 30 anos de idade, 18 anos de atleta e fui expulso uma única vez.

Estou totalmente arrependido, peço desculpas ao árbitro da partida, peço desculpas aos meus companheiros, aos dirigentes, aos torcedores que apoiam e que gostam do clube. Quero dizer que não sou esse monstro que está sendo criado. Todo muno sabe do meu caráter, sabe do legado que sempre deixo. Então que as pessoas possam estar me perdoando por essa atitude e que Deus abençôe todos vocês.

NOTA DO CLUBE

Lamentamos ocorrido no último jogo e pedimos desculpas ao árbitro da partida.

Realmente o goleiro Bruno errou no procedimento com a arbitragem, mas, como homem e profissional, veio por meio das redes sociais do clube reconhecer seu erro e se desculpar com os torcedores, com os colegas de clube e com a arbitragem.

Confira também:







Fonte: Futebol Interior