Tomou a vacina contra covid-19? Teste indica se tem a presença de anticorpos protetores


A vacinação contra covid-19 tem avançado em todo Brasil. Com cada vez mais pessoas tomando a segunda dose do imunizante, é comum surgir o questionamento se realmente ficou imunizado ou possuem anticorpos protetores. 

Embora a presença de anticorpos contra o vírus causador da Covid-19 não seja uma garantia de proteção a infecção, a determinação de anticorpos neutralizantes é importante, em especial naqueles pacientes com baixa ou nenhuma produção de anticorpos. 

“Essas pessoas, de acordo com a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial (SBPC/ML), provavelmente estão mais sujeitas a infecção e à doença causada pelo vírus. Por isso, devem ser ainda mais cuidadosas em relação às medidas protetivas, como uso de máscara e álcool em gel”, comenta Dr Fernando Araújo, médico e assessor científico do DNA Laboratório. 

Para avaliar qual o nível de produção de anticorpos ou resposta vacinal, o DNA Laboratório optou por um teste altamente sensível e específico, para dosagem direta quantitativa de Anticorpos Neutralizantes anti-proteína S1 fração RBD (que é a parte do vírus que interage com o receptor ACE2 na célula humana e promove a entrada do SARS-CoV-2 na célula). Estes anticorpos impedem a interação do vírus com a célula, dificultando sua entrada e replicação, por isso são chamados de neutralizantes 

“A testagem pós-vacinal é essencial para se entender a resposta imune que se segue à vacina, independentemente de qual tipo ou marca for aplicada, e após a infecção pelo SARS-CoV-2″, comenta Ana Paula, assessoria técnica do DNA Laboratório. “Todas as vacinas autorizadas e distribuídas no Brasil promovem resposta humoral possível de ser detectada pelo teste de Anticorpos Neutralizantes anti-S1 fração RBD que disponibilizamos aos nossos clientes”, comenta ela.  

O exame é feito por meio de coleta de sangue, não necessita de jejum, e deve ser feito pelo menos 15 dias (idealmente 30 dias) após a aplicação da segunda dose da vacina.  





Fonte: iBahia