Bolsonaro diz que novo Bolsa Família será “muito mais enxuto”


O Presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre a questão do novo Bolsa Família. Em entrevista para uma emissora de rádio, o chefe do executivo disse que o programa será muito mais enxuto em sua nova versão. E garantiu que vai ser justamente isso que vai fazer o benefício crescer no patamar de pagamentos.

“O Bolsa Família tem várias coisas que interferem no valor. Queremos que menos coisas interfiram e tenhamos no final da linha um patamar maior. Essa que é a ideia. Vai passar da média de R$ 192 para a média de R$ 300, e é muito bem-vindo, no meu entender”, disse o Presidente na entrevista em questão.

Ainda de acordo com Bolsonaro, quem estaria responsável pela condução desse programa é o Ministro da Cidadania, João Roma. Essa, aliás, é a pasta responsável pelos pagamentos não só do Bolsa Família como também do atual Auxílio Emergencial. Pelo menos é o que se sabe até aqui.

Falta saber, no entanto, o que o Ministro da Economia acha disso tudo. É que de acordo com informações de bastidores, há um certo ruído de comunicação quando o assunto é o valor do novo Bolsa Família. Bolsonaro e outros membros do Governo estão apresentando números diferentes sobre o tema.

Nas últimas entrevistas, o Presidente está garantindo com muita força que o valor mínimo do novo programa será de R$ 300. No entanto, membros do Ministério da Economia, acreditam que vai ser possível pagar até uma média de R$ 270. São portanto duas visões diferentes sobre esta mesma situação.

Novo Bolsa Família

A ideia do novo Bolsa Família não é nova dentro do Governo Federal. Aliás, quem começou com esse projeto foi o antigo Ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni. Ele tinha como objetivo fazer alterações na base do programa.

Você Pode Gostar Também:

De acordo com o próprio Lorenzoni, a ideia central era tornar o benefício social em algo com uma base na meritocracia. Dessa forma, as famílias que merecessem mais, acabariam ganhando mais bonificações dentro do projeto.

Então famílias com filhos que tirassem notas melhores na escola, por exemplo, poderiam ter a possibilidade de ganhar mais no final do mês. No entanto, essas mudanças no programa acabaram não indo muito para frente.

O fato mesmo é que o Governo sempre teve muitas dificuldades para conseguir alterar o Bolsa Família. No final do ano passado, já no período da pandemia, o Planalto não conseguiu montar o Renda Brasil, por exemplo.

Auxílio Emergencial

Enquanto o novo Bolsa Família não entra em cena de fato, o Palácio do Planalto segue realizando os pagamentos do Auxílio Emergencial. De acordo com as informações oficiais, os repasses estão chegando na casa de 37 milhões de brasileiros.

Esse número já foi maior. De acordo com o próprio Ministério da Cidadania, cerca de 40 milhões de pessoas começaram a receber o benefício em abril. E no ano passado, esse número passou perto dos 70 milhões.

Leia Também:

Está “bombando” na Internet:

Fonte: Notícias Concursos