Caixa Econômica anuncia a contratação de 10 mil novos colaboradores; veja detalhes



A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira (19) que irá contratar 10 mil novos colaboradores, entre empregados e terceirizados. Serão 4 mil empregados, 5,2 mil estagiários e adolescentes aprendizes, e cerca de 800 recepcionistas e vigilantes.

Isso se deve ao plano de expansão do banco que pretende abrir 250 agências ao redor do país até o fim de ano.
 

Está prevista a contratação de 4 mil empregados ao todo, sendo que 3 mil deles serão convocados do concurso vigente, a depender ainda de autorização da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest) para ampliação do quadro de pessoal da Caixa.

Além disso, haverá mil vagas para pessoas com deficiência (PcD), em concurso específico para esse público, com previsão de lançamento de edital até setembro deste ano.

  • Programa Adolescente Aprendiz

O Programa Adolescente Aprendiz tem como objetivo proporcionar conhecimentos teóricos e práticos necessários ao desempenho de uma profissão e promover a inclusão social de adolescentes.

O programa promove a capacitação profissional em serviços bancários e administrativos, ao mesmo tempo em que estimula a prática da cidadania, de valores éticos e profissionais.

A contratação de aprendizes para atuação na Caixa ocorre por meio de parceria com entidades sem fins lucrativos, selecionadas por meio de chamada pública e conveniadas para essa finalidade, conforme a Lei de Aprendizagem.

As vagas de estágio serão providas por candidatos que já foram aprovados em processo de seleção realizado pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE).

Caso seja identificada a necessidade de abertura de mais vagas, novas seleções poderão ser feitas pelo CIEE futuramente.

  • Vigilantes e recepcionistas

Para os serviços de vigilância e recepção em suas unidades, a Caixa realiza a contratação de empresas especializadas em tais serviços, sempre em observância à legislação vigente.

Para a contratação dos profissionais, as empresas devem observar as normas legais relacionadas às atividades de vigilância e recepção, assim como as exigências contratuais.

A CAIXA ressalta que a alocação de serviço de vigilância e recepcionistas ocorrerá em todo o território nacional, variando de acordo com a demanda das unidades.





Fonte: iBahia