28.4 C
Penedo
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

CE: Brasileira é selecionada para curso em Harvard


A estudante de doutorado Tereza Rafaella Cordeiro Maciel, da Universidade Estadual do Ceará (UECE) foi selecionada para um curso em Harvard

Tereza faz parte do PPGS (Programa de Pós-graduação em Sociologia) e acabou sendo uma das selecionadas do Afro-Latin American Research Institute na convocatória do Certificado em Estudos Afrolatinoamericanos de Harvard.

Ao todo foram selecionados 60 bolsistas da América Latina e do Caribe.O curso terá duração de seis meses e será realizado de maneira remota. 

Além disso, o curso tem como objetivo o estudo de experiências, histórias, contribuições e desafios do povo afrodescendente da América Latina desde o período colonial até os dias de hoje, com foco na justiça social. 

A pesquisa de doutorado de Tereza tem como “As Disputas de Narrativas no Campo Feminista Digital em Contextos Afro-Latino-Americanos: Olhares acerca dos Impactos da Pandemia na vida das Mulheres e de Grupos LGBTQIA+”. 

A estudante aprofundou-se nas disputas de narrativas no campo feminista digital, buscando entender os impactos da pandemia no Brasil e no restante do continente latino-americano. 

Segundo Tereza: “E não apenas os impactos da pandemia, mas os impactos contemporâneos a que vêm sendo sujeitadas e submetidas as populações mais vulneráveis, como as mulheres latinas, negras, indígenas e, também, os grupos LGBTQIA+”. 

Objetivo do certificado

De acordo com a doutoranda, a busca pelo certificado tem como objetivo demonstrar a riqueza e diversidade no campo de estudo afro e latino-americano sobre temas como:

  • História;
  • Cultura;
  • Economia;
  • Arte;
  • Política.

Dos locais em questão, buscando contribuir com pessoas afrodescendentes, criando uma opção acadêmica aos planos educacionais mais tradicionais. 

Você Pode Gostar Também:

“Muitas vezes, esses planos silenciam as contribuições históricas das pessoas afrodescendentes e latino-americanas na estrutura de conhecimentos, onde geralmente há um racismo epistemológico”, diz a estudante.  

“O que eu busco trazer na minha pesquisa é, pelo menos, tentar lutar pelo fim da reprodução do machismo, da misoginia, do capitalismo racista, eurocentrado e neoliberal que hoje se sustenta principalmente em países latino-americanos, como o Brasil” afirma, Tereza.  

“E hoje a gente tem um público que sofre muito com relação a isso, como as mulheres indígenas, negras, camponesas, que estão sofrendo de forma muito mais acentuada os impactos da pandemia e a maneira como esses impactos estão sendo geridos pelos governos. E geralmente são governos autoritários os que estão à frente dos países latino-americanos atualmente”, reflete a pesquisadora.

O Afro-Latin American Research Institute, da Universidade de Harvard, é um dos principais órgãos de pesquisa sobre a história e cultura dos povos africanos e afro-diaspóricos da América Latina e do Caribe. 

Para orientadora de Tereza, a professora Lia Pinheiro Barbosa: “Ser selecionada para participar do Certificado en Estudios Afrolatinoamericanos é uma oportunidade ímpar de ter acesso a uma formação acadêmica em uma universidade de excelência, como é o caso da Universidade de Harvard, aprofundando os estudos na área e ampliando o intercâmbio de experiências acadêmicas com outros pesquisadores e pesquisadoras em uma rede de pesquisa internacional”, afirma. 

Temas do curso

A Estudante relata que o curso abordará vários temas e aspectos ligados principalmente a: 

  • Desigualdade, 
  • Escravidão, 
  • Tráfico de escravos, 
  • Relações afro-indígenas, 
  • Legislação, 
  • Ideologias de democracia racial, 
  • Produção intelectual afrodescendente, 
  • Formas de mobilização, 
  • Produção cultural, 
  • Religiões, 
  • Migrações e abordagens transnacionais, 
  • Instrumentos jurídicos internacionais sobre igualdade racial.

O curso acontecerá entre setembro de 2021 e março de 2022 e será realizado nos idiomas português e espanhol. Ao fim do curso para receber o certificado os estudantes deverão entregar um trabalho acadêmico em artigo ou workshop. 

Por fim, vale destacar que o curso tem a colaboração de várias universidades, centros de estudos e demais instituições estudantis da América Latina. 

E então, gostou da matéria? Não deixe de ler também – Saiba como estudar em Harvard com bolsas de até 70 mil dólares. 

Leia Também:

Está “bombando” na Internet:

Fonte: Notícias Concursos