Cinco filmes com protagonistas femininas que trazem o girl power – Coisa de Cinéfilo


Eita que nós estamos inspiradas na estreia de Viúva Negra, que aconteceu na última semana tanto nos cinemas como na plataforma Disney+. O movimento de afirmação do protagonismo da mulher é uma pauta cada vez mais debatida e um dos elementos é a importância da representatividade.

É difícil se imaginar num lugar que nunca foi ocupado por algum semelhante seu, mesmo que seja apenas na ficção. Então esses (e outros) filmes vão muito além de apenas entretenimento e funcionam como inspiração para muitas mulheres, por vezes como um abraço de quem entende o que elas estão passando.
Vale ressaltar que Viúva Negra é ótimo e traz muito da história de Natasha Romanoff, como ela se tornou uma assassina profissional, sua relação com os Vingadores e muito mais. Com um roteiro bem amarrado, o longa deixa o espectador entretido a todo momento, com ótimas atuações e elenco de peso. Não deixe de conferir.

Mas vamos a nossa pauta de hoje? Claro que poderíamos elencar aqui diversos filmes que falem sobre a força da mulher, mas esses aqui são bem variados em estilo e gênero e com certeza valem a sua atenção.

  • Mulher-Maravilha (HBO Max)

Sim, a nossa super-heroína favorita tinha que encabeçar essa lista de filmes com protagonista girl power. Diana é uma princesa amazonas que desce à Terra com o objetivo de tentar resolver a guerra sem precedentes que se espalha. Ela literalmente chega colocando ordem na casa e se impondo em todos os cenários, numa época em que o machismo era ainda mais notório e desenfreado.
É um dos melhores filmes de super-herói da atualidade e traz uma protagonista carismática que não se despe de seu gênio cuidadoso para assumir o lugar de liderança e força. Diana é uma grande inspiração para muitas meninas que, ao redor do mundo, começaram a se espelhar na sua força e ter uma representatividade num mundo tão comumente masculino.
 

  • Erin Brockovich – Uma Mulher de Talento (Netflix)

Erin é uma mulher com três filhos que batalha arduamente até conseguir emprego em um pequeno escritório de advocacia. Quando se depara com um processo que afeta a qualidade da água da cidade, ela se vê no meio de uma disputa de gigantes. Sempre subjugada por sua forma de vestir, seu jeito de falar, o fato dela ter filhos que precisam de sua atenção e questões pontuadas pelo machismo, ela resolve fazer uso disso para manipular os envolvidos e conseguir convencer a todos cooperarem com ela.

Na pele de Julia Roberts, essa personagem se engrandece e nos mostra várias pequenas situações de machismo que as mulheres vivem diariamente e o quanto elas precisam se esforçar o dobro para conseguir o mesmo que os homens. Inclusive, foi premiada com o Oscar de Melhor Atriz pela atuação incrível.

  • Legalmente Loira (Telecine Play)

Talvez você esteja rindo um pouco sobre este filme estar nesta lista, mas é a mais pura verdade. A princípio, as motivações de Elle Woods não são as melhores, já que ela decide entrar na faculdade de Direito só para correr atrás do namorado que a largou por outra “mais inteligente”. No entanto, ao longo do filme o que percebemos é uma mulher que não se deixa abalar pelo preconceito das pessoas, que mostra que um rostinho bonito tem também um cérebro incrível por trás e que está na hora de respeitarem mais o estilo único de cada mulher.

O que é bacana neste filme é que ele sai do estereótipo que alguns filmes antigos traziam de mulheres que batalhavam pelos seus direitos e que tinham um estilo mais masculino. Nada disso de querer masculinizar a mulher para justificar a sua batalha, hein?! Podemos fazer tudo que os homens, ainda usando maquiagem e em cima de um salto.

Claro que precisaria incluir uma animação da Disney aqui, já que possuímos algumas. Na dúvida de qual decidir, escolhi as duas principais, que é Mulan e Frozen. As duas personagens extremamente carismáticas e que conquistaram crianças de diferentes épocas se desvinculam completamente daquele estilo antigo de princesas da Disney que eram sempre resgatadas por um príncipe ou que almejam apenas o matrimônio.

Mulan e Elsa defendem o seu reino e a sua honra sem perder a feminilidade e sem necessitar que algum homem faça o trabalho por elas ou as resgate. Em Frozen, Elsa até brinca no final ao falar com a irmã, Anna, que ela não pode simplesmente se casar com um cara que acabou de conhecer. Em Frozen 2, ela segue sem esse objetivo de casar, o que é algo muito revolucionário dentro dos padrões da Disney.
Enquanto isso, Mulan está lá batalhando em nome de sua família para proteger seu pai, defendendo seu país e mostrando às garotinhas que lugar de mulher é onde ela quiser.

  • Estrelas Além do Tempo (Telecine Play)

Algo muito incrível neste filme é que ele é baseado em uma história real. Com um elenco de peso composto por Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Janelle Monáe, o roteiro conta a história de três mulheres que sofrem preconceito de gênero e de raça ao trabalhar como matemáticas da Nasa. Em plena Guerra Fria, elas conseguem resolver cálculos importantes, mesmo tendo que trabalhar em locais separados e passar por diversos tipos de dificuldades na rotina de trabalho.

As três foram fundamentais para a corrida espacial entre os EUA e a Rússia e acabaram passando anos sem ter o reconhecimento justo, simplesmente por conta do machismo e do preconceito racial. É um filme excelente que vale a pena a sua atenção.


Marcela Gelinski, editora do site Coisa de Cinéfilo





Fonte: iBahia