Confira os protocolos de funcionamento de teatros, circos e espaços culturais



A Prefeitura de Salvador deu início, nesta sexta-feira (09), fase verde do plano de retomada das atividades econômicas. Isso inclui a abertura de espaços como teatros, circos, centros culturais, museus, galerias de arte, bibliotecas e similares, assim como parques públicos municipais.

Esses estabelecimentos deverão seguir uma série de protocolos sanitários para garantir um retorno seguro. Todas regras estão definidas no decreto 34.124, publicado na quinta-feira (8) em edição extra no Diário Oficial do Município (DOM). 

No caso dos teatros, estes locais podem funcionar sem restrição de dias e horários, com capacidade máxima de público por apresentação de 50% em cada sala de espetáculo. Em complexos que possuam mais de uma sala, deve-se escalonar os horários de início e encerramento das sessões.

Em um mesmo procedimento de compra de ingresso poderão ser adquiridas até duas poltronas vizinhas. Na aquisição de ingresso para poltrona única, o assento vizinho que poderia ser adquirido deve ser bloqueado no sistema. Além disso, a comercialização de ingressos e a concessão de cortesias passam a ser preferencialmente virtuais e, quando o acesso for gratuito, deverá ser feito agendamento pela internet. 

A venda física dos bilhetes, por sua vez, poderá ser realizada desde que sejam colocados dispensadores de álcool a 70% ao lado de cada bilheteria e haja separação através de barreiras físicas. As salas devem ser abertas com pelo menos 30 minutos de antecedência e evitar se buscar eliminar filas para apresentação do ingresso. Caso não seja possível, o estabelecimento terá que providenciar marcações no chão com 1,5 metro de distância entre as pessoas.

No início e ao final de cada espetáculo, as portas de acesso e saída das salas e dos corredores devem permanecer abertas, sendo higienizadas ao final da sessão. Também fica limitado o acesso ao palco e aos camarins apenas aos artistas e equipes técnicas..

O uso constante de máscaras nos camarins deverá ser respeitado o limite de uma pessoa a cada quatro metros quadrados. Está proibido o compartilhamento de figurinos e maquiagens entre os artistas e facultado o uso de máscaras pelos artistas durante as apresentações, atuações e performances, desde que respeitado o limite mínimo de distanciamento de, pelo menos, cinco metros com o público. Caso necessário, as primeiras fileiras de poltronas poderão ser bloqueadas para garantir esse distanciamento.

Já os circos podem funcionar de segunda-feira a domingo, das 10h às 23h. A capacidade em cada sessão será baseada no distanciamento dos assentos, não podendo exceder o limite máximo de 50% da arquibancada ou 200 pessoas, o que for menor, incluindo neste limite os trabalhadores e prestadores de serviço. Em um mesmo procedimento de compra de ingressos, podem ser adquiridos até quatro assentos vizinhos. Outra regra a ser observada é que o público deve permanecer sentado durante todo o espetáculo.

A saída das pessoas deverá ser escalonada por fileiras de assentos. Além disso, devem ser evitados intervalos durante as apresentações. Os serviços de preparação dos artistas para o espetáculo, como maquiagem, cabelereiro, auxílio para vestir e trocar figurinos, quando realizado por pessoas não pertencentes ao mesmo grupo familiar, devem ser feitos por profissionais usando os EPIs adequados.

Vale reforçar que, assim como nos teatros, o acesso ao palco e aos camarins está limitado apenas aos artistas. Ainda nos camarins, deverá ser respeitado o limite de uma pessoa a cada quatro metros quadrados. Não devem ser compartilhados itens entre os artistas durante o espetáculo. Os microfones devem ser de uso exclusivo para cada artista e deverão ser higienizados ao final das apresentações.

Os centros culturais, museus, galerias de arte, bibliotecas e similares podem funcionar das 10h às 20h, sem restrição de dias da semana, inclusive feriados. O limite máximo de ocupação simultânea é de 50% da capacidade máxima de cada estabelecimento, não podendo exceder o máximo de 200 pessoas simultâneas.

A venda de ingressos deve ser virtual, preferencialmente, enquanto que as visitas terão horários previamente marcados, inclusive quando o acesso for gratuito. Sempre que possível, deverão ser designadas portas específicas para entrada e saída dos frequentadores e, no caso de impossibilidade, será de responsabilidade da administração do estabelecimento organizar o fluxo para evitar aglomerações.

Os frequentadores deverão ser orientados a permanecer no local por um período máximo de uma hora, sempre observando o afastamento mínimo de 1,5 metro. O uso de máscaras é obrigatório durante toda a visitação. O circuito a ser seguido pelos frequentadores deve ser de mão única e estar sinalizado de forma clara e visível. A higienização de objetos manuseados, a exemplo de livros, deve ser realizada antes e após cada uso.

Quando possível, deve-se manter as portas e janelas abertas para melhorar a ventilação do local e, no caso de ambiente refrigerado, o sistema não poderá ser mantido no modo de recirculação do ar. Os elevadores são restritos a idosos, pessoas com deficiência ou com dificuldade de locomoção e só podem ser utilizados ao mesmo tempo por pessoas que pertençam a uma mesma unidade familiar.

Não podem ser exibidas obras, exposições e filmes interativos, estando proibida, ainda, a realização de apresentações ou performances interativas ou que estimulem o contato ou a redução do distanciamento mínimo entre as pessoas. Além disso, está proibida a realização de palestras, oficinas, reuniões, exposição, apresentação, eventos e similares que estimulem ou ensejem interação, assim como visitas guiadas e o uso de audioguias. Está permitida a exibição de filmes ou vídeos apenas em espaços abertos, com duração máxima de 15 minutos, distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas e uso de máscaras. Os estabelecimentos devem retirar ou isolar fisicamente sofás, bancos, poltronas e cadeiras dos espaços comuns.





Fonte: iBahia