Criciúma consegue apoio da FCF e promete protesto na CBF contra arbitragem


Criciúma, SC, 29 (AFI) – A Federação Catarinense de Futebol (FCF) apoiará a reclamação da diretoria do Criciúma contra a arbitragem, em especial, o árbitro Caio Max Augusto Vieira e o árbitro de vídeo Pablo Ramon Gonçalves, ambos potiguares, e envolvidos na polêmica durante a vitória do clube catarinense, por 2 a 1, sobre o Fluminense no Heriberto Hulse pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

“Talvez eu não tenha acesso à Comissão de Arbitragem como presidente de clube, mas o presidente da Federação (Rubens Angelotti) tem. E ele vai na Comissão deixar clara a nossa indignação”, disse Anselmo Freitas, presidente do Criciúma.

REPRESENTAÇÃO!
O Criciúma, junto com seus advogados, preparou uma representação para ser entregue à CBF na próxima sexta-feira, quando o clube chegará na cidade para o duelo de volta. O Criciúma reclama do pênalti que originou o gol do Fluminense. Caio Max marcou mesmo sem consultar o VAR. Nas imagens é possível ver que Luccas Claro cai sozinho na área.

“Não houve erro, houve má intenção da arbitragem. O Criciúma foi sim roubado. Não vamos deixar que isso aconteça novamente”, completou Freitas.

PRATA NAS OLIMPÍADAS!

VANTAGEM!
Com o resultado, o Criciúma terá a vantagem de jogar pelo empate no jogo de volta das oitavas de final para avançar. Já o Fluminense precisará de uma vitória por dois gols de diferença para se classificar no tempo regulamentar. Vitória carioca por um gol de diferença levará a decisão para os pênaltis.

Os dois times voltam a se encontrar no próximo sábado (31), desta vez, no Maracanã, às 16h30. O duelo acontecerá no final de semana por conta de um ajuste na tabela, já que o Fluminense irá encarar o Cerro Portenõ-PAR, na terça-feira (03), pela rodada de volta das oitavas de final da Libertadores, em jogo que foi remarcado por conta da morte do filho do ex-atacante Arce, atual técnico do time paraguaio.

Confira também:





Fonte: Futebol Interior