Grêmio perde a paciência, demite Tiago Nunes e pensa em Felipão


Porto Alegre, RS, 4 (AFI) – A péssima campanha do Grêmio no Campeonato Brasileiro, como era esperado, resultou na demissão do técnico Tiago Nunes, de 41 anos, após a derrota para o Atlético-GO, por 1 a 0, neste domingo à noite, na Arena Grêmio. O nome preferido da torcida para substituí-lo é um velho conhecido: Luiz Felipe Scolari, o Felipão, de 72 anos.

Pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira em 2002 e técnico do 7 a 1 em 2014, Felipão já comandou o Grêmio em outras três oportunidades, onde foi campeão do Campeonato Gaúcho por três veses (1987, 1995 e 1996), da Copa do Brasil (1994), da Libertadores (1995), do Brasileirão (1996) e da Recopa Sul-Americana (1996). Até o momento ele nao se manifestou.

SITUAÇÃO COMPLICADA
O Grêmio é o lanterna do Brasileirão, com apenas dois pontos em sete jogos – 21 pontos disputados. Mesmo tendo sido campeão gaúcho, o técnico não conseguiu dar sequência positiva no trabalho de seu antecessor, Renato Gaúcho. Evandro Fornari ou Pedro Sotero devem ser interinos até a contratação de outro técnico. Foram eles que ficaram à frente do time quando Nunes teve Covid-19.

A troca, com certeza, já vinha sido cogitada no clube, porque após a derrota apareceram para a coletiva o vice-presidente de futebol, Marcos Herrmann, ao lado do próprio técnico. O dirigente se manifestou primeiro de forma lacônica: “O professor Tiago Nunes deixa de ser nosso treinador. Nós decidimos em comum acordo por não atingir objetivos no campeonato nacional. Agradeço a ele, à comissão pela dedicação e trabalho pelos 70 dias que todos estiveram conosco. No começo, foi coroado com dois troféus”, informou o vice de futebol Marcos Herrmann.

Depois foi a vez do ex-treinador gremista se despedir. “Quero agradecer aos atletas pelo carinho e lealdade desde o primeiro dia em que estou aqui. Também quero agradecer ao torcedor. Mesmo chateados com o momento ruim que nossa equipe atravessa, muitos apoiaram. O Grêmio é muito grande e passará desta fase difícil. Foram pouco mais de 70 dias, e nós ganhamos o Gauchão. A partir daí, os resultados não vieram mais. Agradeço ao Tricolor pelo acolhimento e desejo toda sorte e carinho. Mesmo à distância, seguimos na torcida. As pessoas que estão aqui amam o Grêmio e sairemos desta situação”.

Na realidade, Nunes ficou no clube 74 dias. Contratado em meados de abril, logo após a demissão de Renato Gaúcho, ele fez apenas 20 jogos à frente do Grêmio. Com dez vitórias, cinco empates e cinco derrotas.

No início, conseguiu engatar oito vitórias seguidas e levou a equipe ao título do Campeonato Gaúcho. Não conseguiu, porém, manter o alto nível e nas 13 partidas seguintes, contando duelos do Brasileirão, Copa Sul-Americana e Copa do Brasil, venceu apenas duas. Sob seu comando o time marcou 31 gols e sofreu 16.

Confira também:





Fonte: Futebol Interior