21.8 C
Penedo
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Guedes passa a admitir valor médio de R$ 300


O Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira (30) que o país pode sim pagar um novo Bolsa Família com parcelas médias de R$ 300. De acordo com o chefe da pasta, se o Brasil fizer isso, não irá comprometer o teto de gastos públicos. Com essa declaração, ele tentou tranquilizar o mercado.

Há uma grande confusão sobre esse tema. É que o Presidente Jair Bolsonaro disse em diversas entrevistas que o valor médio de pagamentos do novo Bolsa Família será mesmo de R$ 300. De acordo com informações de bastidores, membros do Ministério da Economia não gostaram nada dessa projeção. Eles estavam considerando que esse seria um patamar muito alto.

No entanto, os ventos começaram a mudar nas últimas semanas. Há alguns dias representantes do Tesouro Nacional disseram que a União tem dinheiro para pagar um Bolsa Família no valor de R$ 300 médios mensais. E foi justamente a depois dessas declarações públicas que Guedes passou a dizer que é possível pagar esse montante.

“Nós fizemos os cálculos e as provisões para atender ao ministro João Roma (chefe da pasta da Cidadania), que pediu um aumento de 50% no Orçamento, e ao presidente Jair Bolsonaro, que pediu que o benefício médio fosse de R$ 300”, disse o Ministro da Economia nesta sexta-feira (30).

“Isso é um custo entre R$ 25 bilhões e R$ 30 bilhões, que a gente já tem, já está no Orçamento. O Bolsa Família não ameaça o teto. O Orçamento está preparado para mandar um Bolsa Família mais robusto”, completou o Ministro que participou de um evento com empresários e falou sobre o assunto.

Encontros

Na quinta-feira (29), o Ministro Paulo Guedes se encontrou justamente com o Ministro da Cidadania, João Roma. O assunto não poderia ser outro. Eles discutiram a questão dos valores do novo Bolsa Família.

Você Pode Gostar Também:

Quando saíram da reunião, no entanto, eles evitaram falar sobre esses montantes. Guedes se limitou a dizer que seja qual for o valor, ele vai respeitar o teto de gastos públicos que a lei orçamentária impõe.

O Ministro da Cidadania disse, por sua vez, que o texto em questão vai ser mais eficaz que a atual versão do projeto. Os dois confirmaram que a ideia do Governo segue sendo começar os pagamentos do novo programa no próximo mês de novembro.

Depois do Auxílio Emergencial

Então, em tese, o objetivo do Governo Federal segue o mesmo. Eles querem pagar o Auxílio Emergencial até outubro e logo na sequência entraria em cena o novo Bolsa Família. Pelo menos essa é a ideia que está de pé até agora.

No entanto, o Presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista nesta sexta-feira (30) que o Auxílio Emergencial atual pode ter uma nova prorrogação. E isso por acabar mudando tudo o que se tem planejado até aqui.

De acordo com Bolsonaro, esse programa só vai seguir para além de outubro se a pandemia do novo coronavírus não apresentar uma queda nos números de mortes e de novos casos confirmados nos próximos meses.

Leia Também:

Está “bombando” na Internet:

Fonte: Notícias Concursos