Marina Ruy Barbosa desabafa sobre ser rotulada: ‘Sou como qualquer outra’



Marina Ruy Barbosa precisa lidar com os ônus e bônus da fama desde a infância, quando começou a trabalhar como atriz. Com o sucesso, ela vê as pessoas lhe rotulando, seja em razão da carreira, aparência ou até mesmo pela sua personalidade.

Em entrevista à revista Top Magazine, a global contou que prefere não se definir, por acreditar que rótulos acabam aprisionando as pessoas.

“Olha, sinceramente prefiro não me definir. De alguma forma acho que as pessoas sempre estão buscando essas definições ou até rótulos para as outras. Sejam eles positivos ou não? E de alguma forma isso te aprisiona, sabe? Porque, de forma inconsciente, você acaba se colocando numa caixinha. E eu não quero mais isso. Quero ter o direito e a liberdade de escrever minha história, sem limites, sem buscar suprir qualquer expectativa externa. Sou uma mulher como qualquer outra – que ama, que chora, que é cheia de sonhos e de vontade de viver e ser todos os dias muito feliz”, disse ela.

Durante o bate-papo, Ruy Barbosa também falou sua aventura no mundo do empreendedorismo e da moda, após ter lançado a sua marca, a Ginger.

“A moda sempre me interessou, desde cedo. É um universo que me permitiu sonhar, ser criativa – e eu tinha certeza de que estaria mais envolvida com ele de uma forma ou de outra. Comecei a fazer parte da indústria no papel de “garota propaganda” e, com o passar do tempo, minha imagem foi crescendo e se consolidando. As semanas de moda, os convites para eventos internacionais e a oportunidade de conhecer grandes diretores criativos abriram o meu olhar e enriqueceram o meu repertório”, destacou.





Fonte: iBahia