‘Música Boa’: Ivete fala sobre ‘euforia’ e revela que programa terá lançamentos de músicas



Em Salvador, com convidados baianos e com Ivete Sangalo como anfitriã. A nova edição do ‘Música Boa’, do Multishow, não poderia ter mais a cara da Bahia. Ainda sem público, por conta da pandemia do novo coronavírus, o programa estreia na próxima terça-feira (13). E os convidados já divulgados dão a cara do que estar por vir: diversidade e baianidade.  No programa de estreia, Ivete recebe Carlinhos Brown, Os Barões da Pisadinha, Pitty e Jau.

Ao falar do projeto, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (7), Ivete não escondeu a animação. Por diversas versas se disse “eufórica” e afirmou que realizar esse projeto em Salvador já era um sonho antigo. 

“É um lugar onde tudo acontece de forma linda e diferente. Eu acho que Salvador vai experimentar um gosto diferente. Programa de porte nacional sendo transmitido toda semana, movimenta muita coisa boa para Bahia. E é uma tendência do meu trabalho trazer tudo para cá, por uma necessidade minha, por ter uma paixão por esse lugar. Tudo que eu puder trazer o meu lugar para perto de mim, é maravilhoso”, afirmou. 

A cantora, no entanto, admitiu que a pandemia ajudou na realização desse “sonho”, já que sendo em Salvador os deslocamentos da equipe, banda e convidados seriam menores. 

Músicas novas e novos nomes

A mistura de ritmos e parcerias no “Música Boa” renderão novos lançamentos. A cantora e apresentadora revelou que a cada programa, uma canção nova será lançada. “A cada programa a gente vai lançar uma música nova com os convidados. Para usar essa plataforma [o programa] de lançamentos. Isso vai ser muito poderoso”, contou.  

Os nomes dos convidados dos outros episódios ainda não foram revelados, mas Ivete garante que buscou convidar o máximo de artistas baianos possíveis. 

Ela afirmou também que participou do processo de montagem da grade. “Essa é uma parte difícil, porém fácil. Tenho uma relação deliciosa com todo mundo. Em comum acordo, porque ninguém faz fácil sozinho, batemos um papo sobre qual seria a grade. Alguns artistas que não poderão estar porque questões particulares. Eu falei que queria botar todo mundo [baianos]. Vamos estar juntos, nem que seja só uma música”, explicou. 

Confira outros trechos da coletiva: 

“Tem um gostinho a mais. Vocês não têm ideia do que eu estou sentindo. É uma sensação poderosa. É um momento da minha carreira em que eu posso optar por isso.  

Eu vou ter artistas da minha terra, gente que eu aplaudo diariamente, meus amigos. Acho que sozinho a gente não faz absolutamente nada. E estamos nesse movimento de levar notícia boa. Com todo protocolo que já existe, com toda responsabilidade. 

Eu tenho ido diretamente convidar os artistas. As ligações são uma farra. ‘Que massa ser aqui em Salvador’. E tanto tempo sem se encontrar, está rolando uma carência real” 

  • Participação do público 

“O público já entendeu como funciona isso do digital. Vou ter a companhia de Gominho, que é um amigo querido, que tem uma relação intensa com música, sabe tudo. E Mari Gonzalez, que é baiana também. Tão linda, maravilhosa, de comunicação fácil.  

Eles vão fomentar nas redes essa alegria do programa. A personalidade do Música Boa é chegar na casa das pessoas. Estamos focados em levar para as pessoas essa pulsação, essa alegria. A ausência deles [público] é aquela folha em branco”. 

“Hebe sempre foi pra mim uma super inspiração. Era uma apresentadora dinâmica, cheia de energia, super bem relacionada.  Ela sempre foi muito honesta nas colocações dela. 

Fausto é uma potência na televisão, tem uma potência do ao vivo, como ele tira de letra, 30 anos naquele programa, validando carreiras.  

Tiago Leifert também. Tem um compromisso com a televisão, muito organizado mentalmente, muito inteligente, muito carismático. Mas o que não falta é inspiração.” 

  • The Masked Singer x Música Boa 

“Mais uma vez eu reitero a importância do momento. Os programas apesar de serem música, são completamente distintos. Mas ao mesmo tempo sou eu que estarei ali à frente. As emoções que vão me guiar. Acho que não tenho uma regra para isso. É como cantar. Vou me jogar nos dois. Feliz da vida de ter essas oportunidades e vou fazer as duas lindamente”. 

“Desafio é uma coisa que pressiona muito. Eu estou é doida para fazer. Não vejo nada de errado, só vejo coisa boa. Viverei experiências que vão marcar minha carreira e minha vida.” 





Fonte: iBahia