Paula Amorim entrega o que não dá para esquecer do ‘No Limite’: ‘Comer barata viva. Parece que estava em transe’ | Aquecimento No Limite


Confiante em sua entrega durante toda a edição, ela, que já foi jogadora de vôlei e atuava na quadra como líbero, fala que usou essa sua bagagem no reality.

“Eu tenho uma formação de atleta, a minha vida desde adolescente foi como atleta. Tive uma boa convivência em grupo, sou bem competitiva, levo a sério os desafios que me passam. E falei para o Zulu: ‘O bom jogador nem sempre ganha o prêmio. Mas o reconhecimento vem de alguma forma’. O que eu trouxe para mim, para o programa, foi a minha história como atleta. Isso faz parte da minha formação.”

A finalista ainda responde sobre sua calma e concentração no programa: “Sou uma pessoa que tenho um bom controle emocional, não sei se é porque eu sou de Capricórnio, é o meu jeito, sou calma mesmo”.

Mas destaca que teve momentos cruciais que quase a levaram a seu limite:

E quando questionada sobre o que não dá para esquecer do No Limite, ela foi certeira:

“Estamos disputando com gigantes. Todo mundo chegou muito grande na Final. Joguei em vários aspectos, fui bem em prova, ajudei a minha equipe, e também joguei na prova individual da Comida, votei em quem achei que devia votar, joguei da melhor forma que pude. Por isso, acho que sou merecedora”, finalizou Paula, apontando os motivos que a fazem merecer o prêmio de R$ 500 mil.



Fonte: Gshow