Polícia investiga possível envolvimento de Lázaro Barbosa com empresários e políticos



 Após a morte de Lázaro Barbosa, na semana passada, a polícia de Goiás começou a investigar o possível envolvimento do “serial killer” com uma organização criminosa, que pode contar com fazendeiros, empresários e até políticos. Para os agentes de segurança pública, o rapaz não agiu sozinho nas ações que realizou nas regiões de Goiás e do Distrito Federal.
 
“Nessa organização criminosa, a gente já levantou que pessoas importantes participam dela. Nós temos empresários, fazendeiros, políticos…”, contou a delegada Rafaela Azzi em entrevista ao Fantástico deste domingo (4).

Um dos suspeitos é o fazendeiro Elmi Caetano que, de acordo com as apurações, escondeu Lázaro durante alguns dias em uma de suas propriedades. Mensagens de áudio foram encontradas no celular do morador que apontam que ele sabia o esconderijo do, na época, foragido.

Inclusive, o próprio Elimi pode ser o mandante de uma chacina cometida por Lázaro, em Ceilândia, no Distrito Federal. O fazendeiro Cláudio Vidal e os dois filhos, Gustavo e Carlos Eduardo, foram assassinados com tiros e facadas nas terras da família, no dia 9 de junho. A mulher de Cláudio, a empresária Cleonice Marques de Andrade, foi feita refém e levada para um córrego, onde foi estuprada por Lázaro e encontrada morta, no dia 12 de junho.

“Considerando que havia um laço anterior, que o Lázaro já era conhecido do proprietário e que na entrevista o proprietário fala que aquela família devia um dinheiro a ele, nós não descartamos a hipótese de que ele tenha realmente usado Lázaro para cobrar a dívida, e em não recebendo, matar aquelas pessoas”, explicou a delegada.





Fonte: iBahia