Presidente do Atlético-GO detona árbitro capixaba: “Nem futebol existe lá”


Goiânia, GO, 22 (AFI) – O presidente do Atlético-GO, Adson Batista, fez duras críticas a atuação do árbitro capixaba Dyorgines José Padovani na derrota do Dragão para o Cuiabá, por 2 a 1, na última quarta-feira, na Arena Pantanal.

Adson Batista acabou com Dyorgines José Padovani e lembrou que o Atlético-GO já teve outros problemas com arbitragem neste Brasileirão. O presidente, porém, perdeu a linha ao falar que “nem futebol existe” no Espírito Santo, estado do árbitro.

“Hoje (quarta-feira) colocaram um árbitro que não tem condição de apitar jogo nenhum. Ele irritou todo mundo e acabou com o jogo. Um trapalhão: troca cartão, inverte falta, conseguiu acabar com o jogo com cinco minutos. São questões que, na CBF, já estou desconfiando que tem algo maior nisso”, disse o presidente rubronegro, que continuou:

“Em jogo do Atlético, só apita árbitro de quinta categoria, não vem um árbitro de verdade, e temos bons árbitros. O problema é que vem um árbitro lá do Espírito Santo, que nem futebol existe, um cara totalmente desequilibrado e sem noção de nada”.

POLÊMICAS!
Apesar de Adson Batista ter exagerado, a arbitragem no jogo atrasado da terceira rodada do Brasileirão foi realmente bastante confusa. Os dois gols do Cuiabá haviam sido anulados pelos bandeirinhas, mas foram validados pelo VAR.

Além disso, logo aos dez minutos do primeiro tempo, o volante Willian Maranhão acabou sendo expulso após falta em João Lucas. O árbitro havia mostrado o amarelo para o jogador do Atlético-GO, mas deu o cartão vermelho após consultar o VAR.

Confira também:





Fonte: Futebol Interior