Profissionais da saúde acendem pira na celebração do Dois de Julho em Salvador


Por causa da pandemia da covid-19, a celebração presencial do Dois de Julho, Independência da Bahia, foi suspensa em Salvador pelo segundo ano consecutivo. No lugar da típica aglomeração da festa cívica, um ato simbólico foi feita nesta sexta-feira (2) e reuniu autoridades como o prefeito Bruno Reis e o governador Rui Costa. Em homenagem aos profissionais de saúde, a pira foi acesa por enfermeiros que atuam na linha de frente contra o coronavírus.

Não é a toa que neste ano a comemoração tem como tema “A Chama da Esperança”. Na celebração desta data tão importante para a Bahia e para o Brasil, os heróis da independência foram homenageados junto aos heróis do combate à covid-19. “Já são 16 meses de uma longa batalha que vem se travando contra a pandemia, e neste dia temos que prestar homenagem a todos os heróis dessa batalha”, declarou Bruno Reis. 

Rui Costa e Bruno Reis estavam presentes no ato simbólico | Foto: Betto Jr./Secom

O prefeito ainda deixou uma mensagem de reconhecimento e esperança. “Temos os heróis da linha de frente, que são os trabalhadores da saúde, e a pira hoje representa a chama da esperança, os caboclos estão de verde, que é a cor da esperança. Que essa seja a última batalha contra a pandemia e que, a partir de 15 de julho, se os números continuarem caindo e com a ajuda da população, possamos definitivamente vencer essa guerra”, afirmou. 

O presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM), Fernando Guerreiro, explicou a escolha do tema das celebrações em 2021. “O tema deste ano é A Chama da Esperança porque a gente espera que essa Covid saia das nossas vidas, que a vacinação continue correndo e que a gente possa logo, logo estar voltando à rotina. Estamos também com uma programação virtual enorme na página da FGM no site e YouTube, então aproveitem este ano para conhecer mais a festa”, declarou.  

Ele aproveitou ainda para informar que no próximo ano serão abertas as comemorações pelos 200 anos da Independência do Brasil na Bahia, a serem completados em 2023, com a criação de um Memorial da Independência no Pavilhão 2 de Julho, na Lapinha. 

Cabocla foi vestida de verde, que significa esperança | Foto: Betto Jr./Secom

Neste ano, a pira foi acendida pelos profissionais de saúde Alene Santos, 49 anos, técnica de enfermagem da USF Jaguaripe, e Helder Martins, 39 anos, enfermeiro da USF Nelson Piauhy Dourado.  

Para Arlene, o momento foi de muita felicidade pelo reconhecimento ao trabalho que vêm realizando, e deixou um recado para a população. “Que todos tenham esperança, fé, confiança, graças a Deus tem essa vacina que veio amenizar a situação e que todos se vacinem, não esqueçam de tomar a segunda dose, procurem os postos e, aos demais, fiquem também atentos ao momento de tomar a primeira dose.” 

Profissionais da saúde acendem pira | Foto: Betto Jr./Secom

“Está sendo muito gratificante, principalmente neste momento que estamos vivendo de pandemia, dificuldade e perdas, fico feliz em representar nossa classe da saúde. Neste dia tão simbólico desejo muita força, esperança e a vacina que está chegando para todos. Com fé em Deus a gente vai vencer essa batalha”, declarou Martins. 





Fonte: iBahia