‘Sabia que era pessoal’, diz Yasmin Brunet sobre veto do COB nas Olimpíadas



Yasmin Brunet, mulher de Gabriel Medina, usou as redes sociais para criticar mais uma vez o Comitê Olímpico Brasileiro (COB). A modelo e o surfista reclamam do fato de a entidade não ter permitido que ela acompanhasse o atleta em Tóquio, com credencial de técnico. 

Na nova crítica, Yasmin compartilhou uma matéria do UOL sobre a entidade ter credenciado para os Jogos o marido da atleta de lançamento de disco Andressa Morais, Everto Luiz Ribeiro. Ele não é o técnico principal dela, posto ocupado pelo cubano Julian Meija, que é contratado pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo). No entanto, aparece como treinador no sistema da confederação.

Yasmin publicou o primeiro parágrafo da reportagem nos stories do Instagram e escreveu: “A verdade sempre aparece. Sabia que era pessoal”.

No surfe, os critérios para o credenciamento são diferentes. Diferente da maior parte das modalidades, a Confederação Brasileira de Surfe (CBSurfe) não indicou profissionais de comissão multidisciplinar ao COB, deixando que cada atleta escolhesse uma pessoa para ser credenciada. Medina indicou o treinador australiano Andy King e a esposa, Yasmin Brunet.

No entanto, por conta da pandemia, cada atleta só poderia levar um treinador. O surfista então pediu que que King fosse descredenciado e Yasmin convocada em seu lugar. Mas o pedido foi rejeitado pelo COB. A entidade afirmou que “o credenciado tem que ser um profissional que tenha ligação com a modalidade”.





Fonte: iBahia