Agosto Dourado: especialista dá dicas de como amamentar sem dor e desconforto



A amamentação é um momento único de interação entre mãe e filho. Mas, além de trazer vários benefícios à saúde, às vezes esse processo pode trazer dor e desconforto para as mamães. 

Por isso, o iBahia – com a ajuda da pediatra e professora do curso de medicina da Unime de Lauro de Freitas, Renata Gomes – selecionou algumas dicas práticas para ajudar mulheres que estejam enfrentando problemas na hora de amamentar. Confira:

  1. Atenção: A dor pode ser um sinal de pega incorreta. Procure um pediatra ou consultor de amamentação para avaliação nesses casos
  2. Tempo entre uma amamentação e outra: Observe a necessidade do seu filho, de acordo com a livre demanda, para que ele não esteja com muita fome na hora de amamentar, pois o bebê pode estar estressado e não amamentar corretamente
  3. Barulho: Se você ouvir qualquer barulho na boca do bebê durante a mamada, é porque algo está errado. Estalos na língua ou som semelhante a um beijo não devem fazer parte desse momento, apenas ruídos da sucção e deglutição. Caso escute qualquer coisa além disso, tire o bebê do seio e recomece. Se persistir, vale tentar mudar a posição.

Após as dicas, a pediatra falou sobre a importância do aleitamento materno. “Neste momento, é importante contar com o acompanhamento médico, para dicas sobre a pegada correta e ajuda com eventual desconforto e dúvidas comuns nesse período. Cuidados como massagem localizada e ordenha de alívio podem amenizar a dor. Vale ressaltar que o leite materno é o alimento mais completo para a saúde do bebê e que não existe leite materno fraco”, explicou.

Com todos esses cuidados, a amamentação se torna ainda mais prazerosa neste vínculo de amor entre mãe e filho. Além disso, o bebê pode usufruir dos benefícios para a saúde. “O bebê amamentado corre menos riscos de contrair infecções, apresentar obesidade infantil e doenças gastrointestinais, inclusive”, pontuou a médica.





Fonte: iBahia