Auxílio Brasil: Receber auxílio emergencial ou Bolsa Família garante acesso ao novo programa?


O Auxílio Brasil é a mais nova promessa do governo Bolsonaro. O novo programa visa substituir o atual Bolsa Família a partir do mês de novembro deste ano. Devido a isto, muitos cidadãos se encontram ansiosos para saber como ingressar no novo projeto.

Em suas declarações sobre a temática, o presidente da república, Jair Bolsonaro, informou que o Auxílio Brasil será uma continuidade do auxílio emergencial e do Bolsa Família. Porém, vale ressaltar que a transferência automática só será realizada para os segurados do atual programa social.

Todavia, para que as atuais famílias atendidas sejam incluídas no novo programa do Governo, deverão estar com os dados devidamente atualizados no Cadastro Único (CadÚnico).

Neste sentido, os beneficiários do auxílio emergencial terão que tentar entrar no programa pelo método de inscrição tradicional, conferindo as primeiras etapas e aguardar análise do Ministério da Cidadania.

O novo Bolsa Família pretende dar espaço a mais beneficiários, com intuito de atender cerca de 17 milhões de famílias, incluindo as 14,6 milhões já contempladas pelo BF. Além disso, Bolsonaro propôs que o valor médio distribuído seja ampliado, passado dos R$ 192 atuais para aproximadamente R$ 400.

Para que o salário mensal seja elevado para as famílias em situação de pobreza e extrema pobreza, a previsão é que novos abonos sejam incluídos no Auxílio Brasil, sendo eles, nove no total. Confira:

Você Pode Gostar Também:

  1. Benefício Primeira Infância: destinado às famílias com crianças entre 0 a 36 meses incompletos;
  2. Benefício Composição Familiar: pago às famílias com jovens até 21 anos;
  3. Benefício de Superação da Extrema Pobreza: disponibilizado como complemento financeiro para as famílias que recebem benefícios, mas que ainda assim não ultrapassam a renda familiar per capita da faixa de pobreza extrema;
  4. Bolsa de Iniciação Científica Júnior: concedida em 12 parcelas mensais aos estudantes beneficiários do Auxílio Brasil com bom desempenho em competições acadêmicas e científicas;
  5. Auxílio Criança Cidadã: pago aos chefes de família que consigam emprego e não encontram vagas em creches para deixar os filhos de 0 a 48 meses;
  6. Auxílio Inclusão Produtiva Rural: oferecido por até 36 meses aos agricultores familiares inscritos no Cadastro Único;
  7. Auxílio Inclusão Produtiva Urbana: direcionado a beneficiários do Auxílio Brasil que comprovem contratação em emprego formal;
  8. Benefício Compensatório de Transição: distribuído aos atuais beneficiários do Bolsa Família que forem prejudicados com a migração entre os programas até que regularize o valor do salário mensal;
  9. Auxílio Esporte Escolar: destinado a estudantes entre 12 e 17 anos que sejam membros de famílias beneficiárias e que se destacarem nos Jogos Escolares Brasileiros.

Possível meio de inscrição

Ao pautar o novo programa social, diversas vezes representantes do Governo Federal mencionaram um certo aplicativo específico para as novas inscrições no programa de transferência de renda. A intenção, é unificar todas as etapas do processo de inclusão, desde a solicitação a análise e aprovação da equipe de cidadania.

Posto isto, há uma grande possibilidade desse meio ser aplicado as novas condições do Auxílio Brasil, no entanto, ainda não foi confirmado. Com isso, considera-se ainda a inscrição via CadÚnico.

Veja também: A 5ª parcela do Auxílio Emergencial 2021 foi iniciada: confira os pagamentos

Leia Também:

Está “bombando” na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br

Fonte: Notícias Concursos