Auxílio Emergencial 2021: 5ª, 6ª, e 7ª parcela para ESTE grupo


Com o fim dos pagamentos da quarta parcela do auxílio emergencial, beneficiários já aguardam a divulgação do calendário com as novas parcelas do benefício. O 5º, 6º e 7º ciclo são abonos extras, estabelecidos pela prorrogação do coronavoucher devido ao avanço da vacinação contra a Covid-19.

Todavia, até o momento apenas os integrantes do Bolsa Família já possuem o novo cronograma de distribuição do benefício. Os beneficiários que se inscreveram no auxílio pelo CadÚnico, site e aplicativo serão informados das novas datas nos próximos dias.

Atualmente, a Caixa Econômica Federal está concluindo os últimos detalhes para começar a enviar as mensagens com as informações sobre o programa pelo WhatsApp. A instituição enviará as notificações para os números cadastrados no Caixa Tem.

Cronograma para segurados do Bolsa Família

Confira a seguir o calendário com as novas parcelas do auxílio emergencial para os cidadãos inscritos no Bolsa Família. Lembrando que para este grupo, os depósitos são realizados conforme o último digito do Número de Identificação Social (NIS).

Nº final do NIS 5ª parcela 6ª parcela 7ª parcela
NIS 1 18 de agosto 17 de setembro 18 de outubro
NIS 2 19 de agosto 20 de setembro 19 de outubro
NIS 3 20 de agosto 21 de setembro 20 de outubro
NIS 4 23 de agosto 22 de setembro 21 de outubro
NIS 5 24 de agosto 23 de setembro 22 de outubro
NIS 6 25 de agosto 24 de setembro 25 de outubro
NIS 7 26 de agosto 27 de setembro 26 de outubro
NIS 8 27 de agosto 28 de setembro 27 de outubro
NIS 9 30 de agosto 29 de setembro 28 de outubro
NIS 0 31 de agosto 30 de setembro 29 de outubro

 

Você Pode Gostar Também:

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria revelou os critérios de concessão ao auxílio emergencial. O relatório divulgado na última semana, indica os grupos com o maior índice de negativas na inclusão ao programa, cerca de 30% da população com a mesma faixa etária não foi aprovada.

Ser incluído na folha de pagamentos do auxílio emergência tem sido uma tarefa desafiadora para uma boa parte dos cidadãos. Segundo os últimos levantamentos, os jovens entre 16 e 24 anos são o grupo com o maior índice de reprovação do benefício, uma vez que 54% de suas solicitações foram rejeitadas.

Quais os critérios de inclusão ao auxílio emergencial em 2021?

Para ser atendido pelo programa do Governo, o cidadão precisa:

  • Ter renda familiar per capita igual ou inferior a meio salário mínimo (R$ 550);
  • Ter renda bruta familiar de até três salários mínimos (R$ 3.300);
  • Ser o único contemplado pelo programa no grupo familiar;
  • Ter mais que 18 anos;
  • Não ter emprego formal;
  • Não ter tido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019 ou rendimentos isentos acima de R$ 40 mil no ano de apuração;
  • Não ser dono de bens de valor superior a R$ 300 mil no fim de 2019;
  • Não ser residente médico, multiprofissional, beneficiário de bolsa de estudo, estagiário ou similar;
  • Não receber qualquer tipo de benefício previdenciário, assistencial ou trabalhista ou de transferência de renda do governo em 2020, com exceção do Bolsa Família e abono salarial.

Veja também: NOVO auxílio emergencial de R$1.000 será liberado; veja quem pode

Leia Também:

Está “bombando” na Internet:

Fonte: Notícias Concursos