Duda Nagle fala sobre a morte do pai após acidente de carro: ‘Faleceu nas minhas mãos’



Duda Nagle relembrou o pior momento de sua vida. O artista, de 38 anos, narrou em detalhes como foi a morte do pai, Rogério Marques Campos, em 2002, num acidente de carro. Os dois estavam acompanhados de um dos irmãos do artista, no Dia dos Pais, quando o veículo bateu em um cavalo que passava pela estrada. Duda, que não costuma falar publicamente sobre o episódio,  tinha apenas 18 quando tudo aconteceu. “Meu pai faleceu nas minhas mãos, numa tentativa de primeiros socorros”, conta.

“Estava no banco do carona, meu pai dirigindo e meu irmão do meio dormindo atrás (ele tem dois irmãos por parte de pai). Estávamos voltando da casa do meu irmão mais novo. Um cavalo atravessou a estrada e não deu tempo de freiar”, narra o artista ao podcast “Inteligência Ltda”, que acrescenta:

“Eu acordo, o cavalo chegando e bum…Aí é aquele negócio doido de vidro voando(…) Meu pai apagou e achei que ele tinha quebrado o nariz. Estávamos de cinto, mas o cavalo tem uma anatomia horrível para esse tipo de acidente, porque a frente do carro bate nas pernas do animal, e o corpo pesado bate no para-brisa”

Duda conta ainda que, após o acidente e se depara com o pai desacordado e o irmão gritando, saiu do automóvel pela janela e tentou abrir a porta do lado onde o Rogério estava. Também auxiliou ao irmão sair do veículo. Num primeiro momento, imaginou que o pai tivesse quebrado o nariz e estivesse apenas desmaiado, por o “rosto estava intacto”. Um médico que passava pelo local parou para ajudá-los, na ocasião.

“Quando a gente foi tirar o meu pai do carro, tirei meu casaco para apoiar a cabeça dele. Quando colocomamos ele no chão, senti o cérebro quente dele na minha mão. Lembro muito do momento que eu vi e falei: ‘já era, né?’. O momento em que a realidade se impôs “, diz o artista, no podcast, que lembrou ainda de o médico ter tentado reanimar o pai algumas vezes após o acidente. “Foi traumatismo craniano na parte de trás da cabeça, fratura exposta.

Na época, os dois e um dos irmãos de Duda retornavam da casa do caçula da família.





Fonte: iBahia