Eterno galã: relembre a trajetória de Tarcísio Meira, um dos maiores nomes da dramaturgia



A dramaturgia brasileira está de luto. Nesta quinta-feira (12), morreu, aos 85 anos, Tarcísio Meira, considerado uma dos maiores atores do Brasil. Ele morreu por complicações da covid-19.

Tarcísio Magalhães Sobrinho – Meira era sobrenome artístico – nasceu em São Paulo no dia 5 de outubro de 1935. Antes de ser ator, ele pensou em seguir carreira diplomática, mas que foi logo deixada de lado ao ser reprovado no primeira exame.

Começou na dramaturgia no fim dos anos 50 no teatro, em peças como Chá e Simpatia e Quando As Paredes Falam. Atuou a primeira vez ao lado de Gloria Menezes, que viria a ser sua esposa, em 1961, no Grande Teatro Tupi, programa de teleteatro da extinta emissora. Eles se casaram no ano seguinte, dando início a uma longa parceria na ficção e na vida real. Em 1964, nasceu o filho do casal, o também ator Tarcísio Filho. 

Na Excelsior, o ator se destacou pela atuação com a mulher em 2-5499 Ocupado (1963), de Dulce Santucci, e fez mais nove trabalhos da emissora. Em 1967, eles fizeram sua estreia na Globo em Sangue e Areia e se consagraram como um dos casais favoritos da TV brasileira.

Entre seus principais trabalhos estão Irmãos Coragem (1970), Cavalo de Aço (1973), ‘O Semideus (1973), Guerra dos Sexos (1983), O Tempo e o Vento (1985), Desejo (1990), Rei do Gado (1996), Torre de Babel (1998), Hilda Furacão (1998), A Muralha (2000), O Beijo do Vampiro (2002), Senhora do Destino (2004), Páginas da Vida (2006), A Favorita (2008), A Lei do Amor (2016) e Orgulho e Paixão (2018).

Em Orgulho e Paixão, seu último trabalho, ele interpretou o Lorde Williamson, um poderoso industrial inglês, mas foi afastado da novela por uma infecção pulmonar.





Fonte: iBahia