Feiras Artesanato da Bahia será aberta em Maragogipinho


Considerado o maior centro oleiro da América Latina, o distrito de Maragogipinho, no município de Aratuípe, será o ponto de partida das Feiras Artesanato da Bahia, nos dias 21 e 22 de agosto, das 10 às 18 horas, na Praça da Matriz. O evento, que será realizado em sete cidades até outubro, promoverá a cada edição a exposição e a comercialização de produtos de artesãs e artesãos, aquecendo o turismo e valorizando a cultura de cada região. Além de Maragogipinho, as feiras visitarão as cidades de Lençóis (28 e 29/08), Jacobina (04 e 05/09), Vitória da Conquista (11 e 12/09), Cachoeira (17 e 18/09), Juazeiro (23 e 24/09) e Porto Seguro (02 e 03/10).

Com a iniciativa, o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), em parceria com Associação Fábrica Cultural, quer incentivar a inclusão social e produtiva. Em Maragogipinho, a Feira Artesanato da Bahia conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Aratuípe.

“Estamos empenhados em ampliar os espaços de comercialização do artesanato baiano, como forma de dar visibilidade e fortalecer a geração de renda de artesãs e artesãos. Além da vitrine virtual e das duas lojas em Salvador, a realização das feiras oportuniza a exposição e o incremento das vendas desse importante segmento econômico em nosso estado”, destaca o titular da Setre, Davidson Magalhães.

A primeira edição itinerante da Feira Artesanato da Bahia vai estimular também a preservação dos contextos culturais que agregam e perpetuam histórias, tradições e

valores de cada região. Durante o evento, o público terá a oportunidade de conhecer a origem das técnicas utilizadas pelos criadores, que destacam a identidade regional do artesanato.

Os visitantes poderão adquirir os produtos artesanais apresentados diretamente pelos produtores, dialogar e interagir sobre a riqueza dos processos produtivos. Nos diversos estandes, estará representado o artesanato local, do polo territorial e de cidades vizinhas.

Segundo Ângela Guimarães, coordenadora de Fomento ao Artesanato da Setre, durante os eventos também acontecerá, em cada cidade, o encontro regional de artesãos e artesãs. “Esta é uma oportunidade de encontro e diálogo do poder público com o segmento, escuta de demandas e apresentação das iniciativas de fortalecimento do artesanato baiano durante este ano de 2021, num contexto de retomada das atividades presenciais”, completa.

 





Fonte: iBahia