Hubs de inovação reúnem boas ideias e startups em um ambiente; saiba como funcionam



Com certeza você já ouviu falar muito sobre startups e, com isso, também já ouviu sobre hubs. Palavras da “moda”, elas estão ligadas a inovação e empreendedorismo. Startups juntam criatividade e inovação para solucionar um problema, geralmente utilizando a tecnologia como principal ferramenta.  

E hubs são justamente espaços que reúnem esse tipo de empresa. Podemos pensar em espaços físicos, como escritórios, até mesmo espaços virtuais e também polos maiores, como cidades. Salvador, por exemplo, tem sido vista por muitos com um alto potencial para a geração de negócios, sobretudo aqueles que fazem parte da economia criativa e circular. 

De acordo com dados do Startup Base, atualizados em tempo real, Salvador ocupa a oitava posição no ranking das 10 cidades com o maior número de startups, com 207 empresas no total. No ranking por estados, a Bahia fica em sétimo. 

Um dos exemplos disso é a criação do Hub Salvador, em abril de 2018. O local é o primeiro centro de inovação portuário do mundo, com capacidade para abrigar mais de 100 negócios em uma estrutura com 3 mil metros quadrados. 

“Salvador é um dos maiores portos do mundo, o que sempre fomentou muitas inovações por aqui. Pensar o cenário que estamos caminhando é antes de tudo compreender que não existe futuro sem memória”, destacou a co-fundadora do Vale do Dendê e fundadora da DIVER.SSA, Ítala Herta, que lembrou ainda o fato de a criatividade ser algo genuíno na vocação dos soteropolitanos, o que acaba favorecendo o desenvolvimento local.  

Além do Hub Salvador, em 2019 a prefeitura da capital baiana inaugurou o Centro Municipal de Inovação Colabore, inaugurado pela Prefeitura em maio deste ano. Primeiro coworking público da capital, o espaço situado no Parque da Cidade.  

Nos hubs, as startups têm maior chance de serem vistas. Isso porque, por lá, passam investidores e grandes empresas, interessados em descobrir novos negócios, seja para investir em uma ideia rentável ou para resolver problemas internos que possuam. 

Além disso, nesse tipo de espaço o networking, ou seja a ampliação da rede de contatos e troca de informações, fica mais fácil de acontecer.  

Para saber mais sobre o assunto, confira o segundo episódio do Projeta Junto!, que debateu o futuro de Salvador como um hub de startup e inovação. O bate papo contou com a presença de Ítala Herta, co-fundadora do Vale do Dendê e fundadora da DIVER.SSA, e Alexandre Darzé, profissional do mercado financeiro e sócio da Lighthouse. 

Semanalmente, um episódio vai tratar sobre inovação, empreendedorismo e assuntos que vão ampliar sua visão sobre negócios em meio ao ecossistema criativo em que estamos inseridos.  

 





Fonte: iBahia