MG: Sindicato decide manter greve na Educação por tempo indeterminado 


A greve na rede estadual de ensino do estado de Minas Gerais, que teve início no dia 2 de agosto, continua por tempo indeterminado, afirma sindicato. 

A decisão pela continuidade foi tomada em assembleia pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE-MG).

Durante a próxima semana, o sindicato convocará novas reuniões para debater novamente a greve sanitária na educação estadual de Minas Gerais e decidir pela manutenção dela ou não. 

Sindicato garante aulas online na rede estadual

O sindicato garante que as aulas no formato online continuarão a ser prestado aos estudantes das escolas públicas do estado de Minas Gerais, diminuindo os impactos da pandemia no conhecimento das crianças e jovens.  

A organização prevê que a atual situação da pandemia do novo coronavírus no estado de Minas Gerais não permite o retorno das atividades de maneira presencial e reivindica “vacinação massiva da população”. 

Segundo a coordenadora-geral do SindUTE-MG e professora, Denise Romano, a crise sanitária perdura no estado, deixando os profissionais da educação muito expostos à doença.

Você Pode Gostar Também:

“Lutar pela vida é o nosso direito e nosso dever. A pandemia em Minas Gerais não está controlada, a estrutura das escolas estaduais é a mesma e não garante segurança sanitária, e o retorno presencial das aulas nesse momento coloca em risco a vida dos profissionais da educação, dos estudantes e das comunidades escolares”. 

A greve sanitária promovida pelos profissionais da educação tem sido monitorada pela Secretaria de Estado de Educação (SEE-MG). 

A SEE-MG afirma que o retorno ao ensino presencial nas unidades escolares é opcional e seguro para a comunidade escolar. 

Afinal, a retomada das aulas presencialmente tem como base parâmetros científicos definidos pelo comitê de combate ao novo coronavírus. 

E então, gostou da matéria? Compartilhe com quem precisa saber disso! 

Não deixe de ler também – Proposta do Auxílio Brasil é enviada ao Congresso com valor 50% maior ao ofertado no Bolsa Família. 

Leia Também:

Está “bombando” na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br

Fonte: Notícias Concursos