Não sacou o abono salarial PIS/Pasep 2019? Saiba como receber


Se você perdeu o prazo para sacar o abono salarial PIS/Pasep ano-base 2019, saiba que o benefício poderá ser restado até 2025. No entanto, o saque só poderá ser realizado no próximo calendário de pagamentos.

O período de saques do abono salarial 2019 foi encerrado no dia 30 de junho. Porém, muitos trabalhadores deixaram de tirar a quantia disponível na conta. O valor do benefício varia de acordo com o tempo de trabalho no ano de apuração e com o salário mínimo vigente.

Confira as proporções:

Proporção Valor
1 mês trabalhado R$ 92,00
2 meses trabalhados R$ 184,00
3 meses trabalhados R$ 275,00
4 meses trabalhados R$ 367,00
5 meses trabalhados R$ 459,00
6 meses trabalhados R$ 550,00
7 meses trabalhados R$ 642,00
8 meses trabalhados R$ 734,00
9 meses trabalhados R$ 825,00
10 meses trabalhados R$ 917,00
11 meses trabalhados R$ 1.009,00
12 meses trabalhados R$ 1.100,00

 

Aqueles que não resgataram o valor referente a 2019 até a data estipulada, deverão aguardar o próximo calendário de pagamentos para sacar o abono. Porém, o Codefat irá definir as datas só no ano que vem.

Geralmente, o PIS/Pasep começa a ser distribuído nos meses de julho até os meses de junho do ano seguinte. Neste sentido, os pagamentos do abono salarial 2020 deveria ter começado no mês passado.

Você Pode Gostar Também:

Entretanto, o Codefat decidiu adiar os pagamentos para 2022, uma vez que outras medidas trabalhistas já foram liberadas este ano. Sendo assim, os saques só poderão ser feitos no próximo ano.

A distribuição segue os calendários divulgados pela Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil (BB). Sendo o primeiro destinado aos trabalhadores de iniciativas privadas (PIS) e o segundo direcionado aos servidores públicos (Pasep).

O cronograma da Caixa segue uma ordem escalonada conforme o mês de aniversário dos beneficiários, já o cronograma do BB, realiza os depósitos de acordo com o Número de Identificação Social (NIS).

Todavia, para receber o benefício o trabalhador precisa:

  • Estar com a Carteira de Trabalho assinada (PIS);
  • Receber até dois salários mínimos no mês;
  • Ter exercido uma atividade remunerada por, no mínimo, 30 dias no ano base;
  • Estar inscrito no PIS/PASEP há, pelo menos, cinco anos;
  • Estar com os dados atualizados na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) disponibilizados pelo empregador.

Leia Também:

Está “bombando” na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br

Fonte: Notícias Concursos