Série B: Após cobrança do Avaí, Atlético-MG resolve pendência por Guga; Marco Aurélio Cunha deve deixar o clube


Florianópolis, SC, 23 (AFI) – Francisco José Battistotti, presidente do Avaí, cobrou o Atlético Mineiro, em entrevista à Rádio CBN, pela não quitação de uma dívida referente ao lateral Guga, que deixou o clube catarinense por R$ 7,5 milhões por 75% dos direitos econômicos. O montante foi pago quase integralmente pela equipe alvinegra. Os R$ 500 mil restantes foram pagos na última sexta-feira, além de um acordo acertado em 15 parcelas de R$ 50 mil.

“O Avaí está com três meses de salários atrasados, enquanto isso o Atlético-MG está contratando todo mundo e não paga a gente pelo Guga. Até agora não vimos a cor do dinheiro da venda do Guga. Alguém precisa fazer alguma coisa, isso não está certo”, afirmou o presidente do clube catarinense.

Guga foi contratado do Avaí pelo Atlético-MG

Procurado pela reportagem, o Avaí informou que ‘não fala sobre valores financeiros’. O mesmo acontece com o Atlético Mineiro. O clube alvinegro não quer mais nem tocar no assunto Guga, que está próximo de completar 100 jogos pela equipe.

Os R$ 500 mil restantes dos valores envolvendo o lateral seriam de um representante. No entanto, o montante gerou juros, que serão usados pelo Avaí para tentar contornar a crise financeira. O time catarinense não paga salários há três meses, para alguns funcionários já chegam há quatro.

As dívidas estão refletindo diretamente na diretoria. Marco Aurélio Cunha informou que pretende deixar o clube e colocou a decisão nas mãos do presidente, mas deixou claro que tratará do caso internamente.

SÉRIE B

Apesar dos problemas internos, o Avaí é o quarto colocado da Série B, com 33 pontos, um a mais do que o Botafogo, na quinta colocação.

Confira também:





Fonte: Futebol Interior