Série B: Cruzeiro é condenado na Justiça a pagar mais de R$500 mil a ex-preparador físico


Belo Horizonte, MG, 12 (AFI) – O Cruzeiro, foi condenado provisoriamente na Justiça na ação que José Mário Campeiz, ex-preparador físico que trabalhou no clube na época do técnico Adilson Batista. Por enquanto, a Raposa deve pegar R$570 mil.

O PROCESSO

José Mário Campeiz informou, na reclamação trabalhista, que foi contratado em 29 de novembro de 2019. O vínculo iria até o dia 31 de dezembro de 2020. Porém, foi demitido no dia 15 de março do mesmo ano do fim do contrato.

Na ocasião, ele afirmou ter se sentido obrigado a assinar um acordo para a rescisão contratual. A quantia acertada foi de de R$ 115 mil, dividida em três parcelas.

FOI LESADO?

O preparador alega ter aceitado a rescisão por pressa do clube.

“O reclamado se valeu da situação de desespero suportada pelo reclamante e, maliciosamente, impôs o anexo instrumento de resilição contratual, para que o reclamante aceitasse uma nova condição de extinção contratual como ÚNICA forma de receber algum valor”, diz a petição.

AINDA NÃO RECEBEU

Segundo a defesa de José Mário Campeiz, o acordo ainda não foi cumprido, foi pago apenas R$ 10 mil. Diante disso, a reclamação trabalhista foi o caminho encontrado por defesa do preparador.

BOTAFOGO: Glo[rio]so: Clube declara amor a cidade do Rio e lança novo uniforme azul celeste

Confira também:





Fonte: Futebol Interior