Série C: Empate do Paysandu-PA é ‘praticamente uma vitória’ na visão de Roberto Fonseca


Belém, PA, 23 (AFI) – O Paysandu-PA conquistou um grande resultado contra o Volta Redonda-RJ, no último domingo. O Papão saiu atrás do placar, mas buscou o empate na reta final e garantiu mais um ponto. O treinador Roberto Fonseca avaliou o desempenho da equipe e apontou alguns problemas, apesar da sensação ser de vitória.

O Paysandu caiu para a terceira colocação, porém, ainda no G4 e evita que o Voltaço, o quinto colocado com 19 pontos, assuma a vice-liderança. O Botafogo-PB tem a mesma pontuação do Papão, 20, e é o atual segundo colocado, por conta do saldo de gols (5 a 3).

GRANDE ATITUDE DO FLAMENGO

FICOU DE BOM TAMANHO

Os quatro gols da partida foram no segundo tempo. Os fluminenses abriram 2 a 0 antes dos 35 minutos e o Paysandu lutou até os 49, quando Leandro Silva deixou tudo igual. Não era o placar esperado, mas pelo que foi a partida, o comandante celebra o ponto e a postura do Papão.

“O empate da maneira como aconteceu, tomamos os gols no segundo tempo, se não tem um time que busca a intensidade, não desiste, com certeza não teria buscado esse ponto fora e tirado dois desse adversário. É um estímulo grande a forma como aconteceu, é praticamente como se fossem os três pontos. Queríamos realmente esses três pontos, viemos aqui para isso.”

“Queremos passar entusiasmo, confiança, vibração. Quem veste uma camisa como essa não pode pensar diferente. A gente tem que estar os 90 minutos vibrando, entregando o nosso máximo para buscar os resultados. Se está ali jogando junto, cobrando, incentivando para passar essa postura aos nossos atletas.”

TERROR DA BOLA PARADA

As bolas na rede do Volta Redonda aconteceram em jogadas semelhantes, após cobrança de escanteio. É comum os técnicos ficarem muito nervosos por sofrerem em jogadas deste tipo, treinadas durante a semana. Roberto Fonseca não é diferente.

“Gol é uma coisa que não admito, principalmente de bola parada, uma coisa que a gente trabalha muito, melhoramos. Sabemos onde houve o erro. A marcação individual, linha mista tem que funcionar melhor, como estava funcionando. Infelizmente hoje tivemos que correr atrás.”

O TAL DO CAMISA 10

A falta de criatividade no meio campo também não agradou. O Paysandu ainda não encontrou um jogador capaz de armar grandes jogadas e encontrar espaço nas defesas adversárias. Ruy foi contratado para a função e, apesar de não entregar tanto até o momento, é a aposta de Roberto Fonseca.

“Realmente dificuldade, uma transição de bola que poderia ter terminado em chances de gol. Não tivemos essa qualidade, principalmente, no primeiro tempo. No segundo colocamos jogadores como Paulinho e Ruy, que tem essa transição, passe melhor. Temos que dar moral para esses jogadores, atualmente são os que nós temos. É passar confiança para esses atletas, somente eles podem nos dar essa qualidade.”

JOGA EM CASA

Na próxima rodada, o Paysandu recebe, na Curuzu, o Floresta-CE, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro Série C, às 19 horas do sábado (28).

Confira também:





Fonte: Futebol Interior